sábado, 22 de março de 2014

Só 13 praias boas de banho

A Superintendência Estadual do Meio Ambiente do Ceará (Semace), por meio da Gerência de Análise e Monitoramento (Geamo), divulgou o novo boletim de balneabilidade das praias de Fortaleza. Dos 31 pontos coletados pela equipe técnica da Geamo, 13 estão próprios para banho.
O resultado das análises de balneabilidade da orla de Fortaleza é divulgado semanalmente e tem como parâmetro a Resolução 274, de 29 de novembro de 2000, do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama).
De acordo com os agentes da Geamo, é possível que o resultado sofra alterações conforme ocorrências de chuvas, aumento da maré, presença de animais, disposição imprópria de resíduos sólidos e adensamento urbano nas proximidades das praias.
Confira a relação dos pontos analisados:
Próprios:
Barraca Arpão Praia Bar 
Barraca Itaparicá 
Barraca Hawaii 
Praça 31 de Março 
Barraca América do Sol 
Barraca Crocobeach 
Clube de Engenharia
Barraca Beleza
Ponte dos Ingleses (Ponte Metálica) 
INACE 
Início da Avenida Philomeno Gomes 
Início da Rua Lagoa do Abaeté 
Barra do Ceará
Impróprios:
Caça e Pesca 
Início da Rua Ismael Pordeus 
Farol 
Iate 
Mucuripe 
Estátua de Iracema 
Volta da Jurema 
Edifício Arpoador 
Final da Rua José Vilar 
Ideal Clube 
Edifício Vista del Mare 
Marina Park Hotel 
Kartódromo 
Início da Avenida Pasteur 
Colônia 
Horta 
Goiabeiras 
Barraca Big Jeans 
(Assessoria de Comunicação da Semace)

Futricas cearenses

  1. Diário do Nordeste extingue a revista Siará.
  2. A publicação dominical, que teve 115 edições em três anos de circulação, era feita ultimamente por:
  3. Germana Cabral.
  4. Cristina Pioner.
  5. José Augusto Lopes.
  6. Lina Moscoso.
  7. Naiana Rodrigues.
  8. Ranniery Melo.
  9. Jéssica Petrucci.
  10. Roberta Souza.
  11. Patrícia Holanda.
  12. Vânia Monte.
  13. Rafaella Bastos.
  14. Marianne Pimentel.
  15. Louise Anne Dutra.
  16. Gracielle Sampaio.
  17. Bruno Gomes.
  18. Lucas de Menezes.
  19. Fabiane de Paula.
  20. Erilene Firmino.
  21. Omar de Albuquerque.
  22. Anchieta Dantas Júnior.
  23. Martha Medeiros.
  24. Márcia Travessoni.
  25. Leo Gondim.
  26. Os cronistas Erilene Firmino e José Augusto Lopes passam a escrever para o Caderno 3 do Diário do Nordeste.

Roberto Cláudio vai para Academia Enem amanhã

www.fortaleza.ce.gov.br
O evento acontece no domingo (23/3) no Ginásio Paulo Sarasate, lá também serão anunciados os 50 alunos que receberão bolsa de estudos
O curso é formado por aulões que acontecem aos domingos e tem mais de 8 mil alun
O curso é formado por aulões que acontecem aos domingos e tem mais de 8 mil alunos matriculados
Boa notícia em dose dupla para os alunos da Academia Enem da Prefeitura de Fortaleza. O projeto que prepara estudantes da rede pública para o ingresso na universidade receberá, neste domingo, 23 de março, a visita do prefeito Roberto Cláudio que vai entregar tablets aos 400 alunos que obtiveram as melhores notas na última edição do Enem. O prefeito também vai anunciar que os 50 melhores alunos nesta etapa da Academia Enem, vão ganhar bolsa de estudo para passar dois meses no Canadá. Mais de oito mil estudantes estão matriculados este ano na Academia Enem, num trabalho da Coordenadoria de Juventude da Prefeitura de Fortaleza.
Academia Enem
O curso é formado por aulões que acontecem aos domingos, com aulas complementares aos sábados, conforme calendário divulgado no site: www.fortaleza.ce.gov.br/academiaenem. O curso é gratuito e tem como prioridade os alunos matriculados ou que tenham concluído o ensino médio na rede pública de ensino. O Ginásio Paulo Sarasate é o local das aulas, que acontecem sempre de 13h30 às 18h.
O Enem é o instrumento de acesso ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu), do qual faz parte a Universidade Federal do Ceará (UFC) e a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), e ao Programa Universidade para Todos (ProUni), que oferece bolsas de estudo em universidades particulares a alunos comprovadamente carentes.
Com o objetivo de tornar menos desiguais as oportunidades de ocupar uma vaga nas universidades cearenses, a Academia Enem tem como princípio norteador a democratização da educação como agente de mudança. Ao mesmo tempo em que visa contribuir para a ascensão dos jovens ao ensino superior, ela os prepara para o ingresso no concorrido mundo do trabalho. Com o curso, os jovens serão inseridos em processo de aprendizagem autônoma e contínua, visando sua maioridade intelectual e progresso social.
Além das aulas presenciais aos domingos, o Academia Enem coloca à disposição dos alunos e visitantes informações sobre oportunidades e educação de um modo geral, tanto nositewww.fortaleza.ce.gov.br/academiaenem, como em nossa página no Facebook (fb.com/academiaenem). No site, os estudantes também terão acesso a apostilas, material didático complementar, estudos dirigidos, exercícios, vídeoaulas e simulados com as mesmas regulamentações e exigências do Enem.

Siará é extinta

"O Diário do Nordeste informa aos leitores que, a partir de amanhã, a Revista Siará, que era publicada pelo jornal aos domingos, não estará mais em circulação".

Marchas...

  • Com cartazes, faixas e bandeiras com as cores do Brasil, os manifestantes da Marcha da Família gritavam palavras de ordem como “Fora PT!” e “Fora comunista!”. O coronel reformado do Corpo de Bombeiros, Davi Azim, disse que resolveu protestar porque está indignado com a corrupção. Ele defende uma intervenção das Forças Armadas, a convocação de eleições para 90 dias. Ele reconheceu a baixa adesão dos fortalezenses. “Muito abaixo do combinado”, comentou. Disse que houve tempo para uma mobilização, que ocorreu apenas via redes sociais.

    Os noivos Rafael Sampaio, de 29 anos, e Lourdes Souza, 27 anos, estavam entre os manifestantes da Marcha da Família. Rafael disse que protestava contra o aparelhamento do Estado. “Nós defendemos que as instituições democráticas republicanas sejam reestabelecidas. Se o Estado controla tudo, quem vai controlar o Estado?”, questionou.

    No grupo da Marcha Antifascista, jovens vestindo preto, muitos deles mascarados, saíram pelas ruas do com faixas contra a Copa(Carmen Pompeu, Fortaleza/O Estado de S. Paulo)


  • 17h16
    Em Fortaleza, a Marcha da Família com Deus reuniu pouco mais de 50 pessoas, mas o grupo não saiu da frente do Forte de Nossa Senhora da Assunção, sede da10ª Região Militar do Exército. A cem metros, na Praça dos Mártires, conhecida como Passeio Público, estava outro grupo, o da Marcha Antifascista, também com pouco mais de 50 pessoas. Por volta das 16 horas, homens do Batalhão de Choque da Polícia Militar do Ceará, fizeram uma barreira em frente à Catedral de Fortaleza para impedir que os dois grupos entrassem em confronto(Carmen Pompeu/O Estado de S. Paulo)


DNOCS...

Recebi do engenheiro Cássio Borges e repasso:
'Caros amigos
Creio que este artigo seja uma boa defesa do DNOCS na conjuntura atual quando a Presidente Dilma, no último dia 14,  baixou um  decreto transferindo para a CODEVASF a gestão do Projeto de Integração do Rio São Francisco. Isto ocorre incrivelmente quando o Ministério da Integração Nacional é ocupado por um cearense. Se os técnicos do Ceará (um pequeno grupo ligado ao governo estadual e alguns periféricos)  não gostam do DNOCS, porque impediram que, há bem pouco tempo, ele fosse transferido para Brasília? Para ver o sepultamento  dele aqui mesmo no Ceará onde foi mais marcante a situação? 
Afinal, o DNOCS tem sua área de abrangência em todo o Nordeste. Por que só o Ceará ficaria ou desejaria ficar de fora das ações   do DNOCS?  O que tem a COGERH a ver com isto? Por sinal, o atual ministro foi presidente daquela Companhia até bem pouco tempo... Muitas pessoas gostariam de conhecer a história deste Projeto e a sua evolução através do tempo onde o DNOCS se encontra presente em todas as fases desta discussão de mais de um século. Na realidade, há muitos interesses em torno desta questão da água especialmente aqui no Ceará. Quem tem o domínio da  água tem o poder. Tem as verbas federais para gastar ao seu bel prazer. Sem CGU, sem TCU. A sociedade nordestina e brasileira tem que se posicionar em  torno deste assunto e solicitar ao atual ministro os necessários esclarecimentos porque órgão por órgão o DNOCS dá de goleada na CODEVASF que tem experiência somente  no vale do Rio  São Francisco onde a água não é problema. Cássio' 


Toda nação tem seus grandes projetos: aqueles que chegam ao conhecimento de todos e são motivo do imaginário popular. Nós, brasileiros, temos os nossos e já fomos bem sucedidos na realização de alguns deles, apesar do custo e das dificuldades na execução. A construção de Brasília, por exemplo, foi um desses grandes projetos que precisou da corajosa e obstinada determinação de um presidente da República para que se tornasse realidade. A hidroelétrica de Itaipu foi outra grande realização do povo brasileiro. Embora entre as nossas grandes realizações como povo, haja, também, os fracassos como a Transamazônica. O fato é que continuamos acalentando grandes sonhos, como o Veículo Lançador de Satélites e o submarino atômico que, muito lentamente, tem sido levado adiante pela Marinha nas suas instalações de Aramar. A EMBRAER, também, poderia ser citada como mais uma realização de sucesso do povo brasileiro, entre tantas outras, como a Petrobrás, por exemplo. Poderia citar,ainda, como uma aspiração de nós nordestinos e da Nação brasileira, a implantação, nesta região semi-árida, de uma infra-estrutura hídrica, tendo em vista solucionar os problemas das secas e das inundações, o que vem sendo, paulatinamente, conseguido através do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas-DNOCS, nos seus 105 anos de existência. Na lista de nossas desejadas grandes realizações como povo está, definitivamente, elencada a transposição de águas do Rio São Francisco para o Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e para o Estado de Pernambuco, onde serão construídas as duas estações de bombeamento, ponto inicial do projeto.
Esta breve história sobre o Projeto de Transposição de Vazões do Rio São Francisco, atualmente denominado Projeto de Interligação do Rio São Francisco às Bacias do Nordeste Setentrional, fala das dificuldades que esse empreendimento tem enfrentado desde quando foi idealizado, pela primeira vez, no ano de 1859, ainda no período imperial, até os dias atuais, quando se estabeleceu uma profunda e apaixonada discussão em torno de sua viabilidade técnica e econômica. A transposição, que prevê o desenvolvimento sustentável do semiárido setentrional do Nordeste e da bacia do Rio São Francisco, tendo como foco a fruticultura na região, é uma das prioridades do Governo Federal.
O problema das secas nos sertões nordestinos tornou-se mais inquietante, desde a época do Império, quando, no período conhecido como a “grande seca”, ocorrida entre 1877 e 1879, segundo relatos da história, morreu de fome e de sede mais da metade da população afetada, calculada em 1,7 milhão de pessoas.
A institucionalização de um organismo governamental para consolidar as tentativas de resolver o problema nordestino com enfoque científico adveio com a criação, em 21.10.1909, da Inspetoria Federal de Obras Contra as Secas (IFOCS), que, sob o comando do seu primeiro diretor geral, engenheiro Miguel Arrojado Lisboa, congregou especialistas nacionais e estrangeiros, entre eles os norte-americanos Roderic Crandell, Horace L.Small, Horace Williams, Geraldo Waring, entre outros, os quais realizaram estudos pioneiros de Cartografia, Botânica, Geologia, Meteorologia, Climatologia e de Hidrologia na região nordestina. Assim, no começo do Século XX, a tecnologia americana foi convocada para colaborar com a engenharia brasileira na solução dos problemas típicos do Nordeste no campo da hidrologia, hidrogeologia, geologia, abertura de poços, obras civis em geral etc, indicando, também, a açudagem como solução para o problema das secas. A IFOCS nascia, assim, com a imagem e a semelhança de sua congênere, o Bureau of Reclamation, dos Estados Unidos, criado há, apenas, sete anos antes, em julho de 1902. Mas pela necessidade do Brasil, à época, requisitar do exterior especialistas em obras hidráulicas, “até então inexistentes em nosso país”, não há dúvida quanto à semelhança das atividades praticadas, ainda hoje, pelas duas entidades. O Bureau of Reclamation é uma organização de engenharia de maior conceito e credibilidade em todo o mundo técnico-científico ligado à questão dos recursos hídricos, concebido, especialmente, para solucionar os problemas da região árida e semiárida no oeste daquele país. Já no ano de 1912, a IFOCS elaborava o mapa do canal interligando o Rio São Francisco com o Rio Jaguaribe, cujo traçado se mantém até os dias atuais com poucas modificações. Ressalte-se que, àquela época, não se dispunha do recurso da aerofotogrametria, como se deduz do depoimento que se segue:
O engenheiro F.J. da Costa Barros, em Boletim da Inspectoria Federal de Obras Contra as Secas (IFOCS), edição de fevereiro de 1935, afirmou que o plano de ligação das bacias do Rio São Francisco com a do Jaguaribe, no Estado do Ceará, “mereceu, já em 1912, por parte da Inspetoria de Obras Contra as Secas, especial atenção, tendo sido efetuados vários estudos topográficos na zona abrangida pelo projetado canal, os quais constituem objeto de sua publicação No. 28 – Série I-G, que é o mapa referente ao canal São Francisco-Jaguaribe”.
Pelos registros da história, a IFOCS reexaminou esse assunto no ano de 1919, chegando à conclusão que, para trazer água do Rio São Francisco para o Rio Jaguaribe, por gravidade, seria necessária a construção de um túnel de 300 quilômetros de extensão. O custo do empreendimento e as dificuldades tecnológicas da época, concluíram pela inviabilidade da obra. Somente em 1972, quando se anunciou o início da construção da Barragem de Sobradinho, no Rio São Francisco, a montante de Juazeiro, na Bahia, o enigmático problema da ligação das duas bacias voltou à baila, em face da elevação do nível das águas no lago criado. Entusiasta da referida transposição, o deputado cearense Wilson Roriz, de Crato (CE), levantou, novamente, a bandeira desse empreendimento.
O Departamento Nacional de Obras Constra as Secas (DNOCS), que sucedeu à IFOCS,examinou o assunto da forma como apresentado em face da construção da Barragem de Sobradinho, que elevou as águas do Rio São Francisco a mais de 60 metros de altura, tendo o engenheiro Genésio Martins de Araujo, daquele Departamento Federal, em seu parecer, assim se expressado: “A condição insofismável é, portanto, que, com base na barragem de Sobradinho, para se atingir Farias Brito pelo preconizado canal, sem bombeamento, como queriam os defensores da ideia, ter-se-ia que seguir um túnel desde Lagoa Grande, em Pernambuco, num desenvolvimento, em linha reta, de 242 quilômetros”.
(1) O Bureau of Reclamation construiu, até os dias atuais, cerca de 600 barragens em dezessete estados do oeste dos Estados Unidos, enquanto o DNOCS construiu 948 em oito Estados nordestinos, sendo 326 açudes públicos e 622 em regime de cooperação com estados, municípios e particulares com uma acumulação total de água superior a 37 bilhões de metros cúbicos.
A ideia da transposição de água do Rio São Francisco foi resgatada novamente pelo DNOCS,em fevereiro de 1978, o qual promoveu, em sua sede, na Avenida Duque de Caxias, em Fortaleza, Ceará, um seminário sobre “Planejamento de Recursos Hídricos”, tendo o professor Wilson Jordão Filho, da Internacional Engenharia, do Rio de Janeiro, proferido palestra sob o título “Grandes Transferências de Águas entre Bacias Hidrográficas”, sendo aprovada a tese da “transferência de água a partir de outras regiões vizinhas com excesso de disponibilidade hídrica”. Maiores detalhes desse encontro, que reuniu 72 técnicos de nível superior, pertencentes a 21 entidades públicas e privadas de todo o Brasil, consta do Boletim Técnico do DNOCS, V.36, No. 1, jan/jun, de 1978.
Essa iniciativa do DNOCS teve ampla repercussão nos meios técnico-cientificos nacionais, tendo a Revista INTERIOR, Ano IV – Nº 24, de maio/junho, de 1978, na seção Atualidades, assim se expressado: “Uma antiga e promissora idéia, por muitos considerada utópica, voltou a repercutir entre técnicos em hidrologia de todo o país: a transferência de águas entre bacias hidrográficas vizinhas… . A possibilidade foi novamente discutida durante Seminário de Recursos Hídricos, promovido pelo DNOCS, no início deste ano, e deverá ser estudada em profundidade a partir de 1979”.
Animado com a repercussão nacional favorável do primeiro encontro de especialistas em recursos hídricos do nosso país, novamente, em outubro de 1979, o DNOCS promoveu, em Fortaleza, o segundo encontro entre esses profissionais em um seminário que foi denominado de“Ciclo de Palestras sobre Planejamento, Uso e Controle de Recursos Hídricos em Bacias Hidrográficas”, tendo o professor Theóphilo Benedicto Ottoni Neto, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, realizado uma palestra sob o título: “A Perenização Hídrica de Bacias Carentes do Nordeste-Uma Solução Hidro-Energética”.
Através do Boletim Técnico do DNOCS, No. 39 (2): 127-144, jul/dez.de 1981, o engenheiroManfredo Cássio de Aguair Borges, então Chefe da Divisão de Hidrologia do DNOCS, publicou um trabalho técnico denominado “Subsídios aos Estudos de Transposição de Vazões dos Rios São Francisco e Tocantins para o Nordeste”, o qual inicia fazendo alusão ao desenvolvimento tecnológico que, certamente, poderá dar solução definitiva à execução do acalentado projeto de transposição de águas do Rio São Francisco, não só para o Rio Jaguaribe, no Estado do Ceará, como para as bacias do Rios Paraiba do Norte e Piranhas-Açu, nos Estados da Paraíba e Rio Grande do Norte, assim se expressando: “… já que as técnicas neste domínio tendem a receber novos impulsos”. O autor fazia referência à possibilidade de utilização da energia ociosa, “off-peak”, da Companhia Hidro Elétrica do Rio São Francisco (CHESF) para bombear, a baixo custo, a água, a ser transposta. Abandonava-se, assim, a idéia da transposição das águas ser feita por gravidade, constituindo-se na conclusão mais importante dos dois seminários, acima referidos, promovidos pelo DNOCS. Segundo essa proposição, o bombeamento somente seria feito, em horário de tarifas reduzidas de energia, o que viabilizaria o empreendimento.
Mas quem tomou a iniciativa decisiva foi o Departamento Nacional de Obras e Saneamento (DNOS) e no dia 13 de novembro de 1981, em solenidade realizada no auditório do Ministério do Interior, foram assinados os Editais de Concorrência para a realização de “Estudos de Previabilidade para Transposição de Águas dos Rios São Francisco e Tocantins para a Região Semi-Árida do Nordeste”. A época, era Ministro do Interior o Eng. Mário David Andreazza e Diretor Geral do DNOS, o Eng. José Reinaldo Carneiro Tavares. Sob o comando do DNOS, esse projeto ainda passou por vários estágios de aprimoramento em meio a um grande debate, a nível nacional, que se seguiu após o anúncio dessa licitação. A idéia inicial era transferir 800 m3/s durante os quatro meses de enchentes normais do Rio São Francisco, retirados do reservatório de Sobradinho, sendo beneficiados os rios Gurguéia, Itaueiras, Piauí e Canindé, no Estado do Piauí; o Rio Salgado, afluente do Jaguaribe, no Estado do Ceará; o Rio Piranhas-Açú, nos Estados da Paraíba e Rio Grande do Norte; e os rios Pontal, Garças, Brígida e Terra Nova, no Estado de Pernambuco. Esse volume, que seria transferido, corresponde à vazão média histórica que, anualmente, é despejado no Oceano Atlântico pelo Rio São Francisco por falta de aproveitamento.
Esse projeto previa a construção da Barragem Aurora, no Rio Salgado, afluente do Rio Jaguaribe, no município de Aurora, no Estado do Ceará, com um volume de 800 milhões de metros cúbicos de acumulação. Uma de suas finalidades era a de servir, dentre outras, de caixa de passagem para o Estado do Ceará das águas transpostas pelo Projeto São Francisco. Após uma reunião realizada naquele Departamento, no Rio de Janeiro, no segundo semestre do ano de 1986, da qual participei, representando o DNOCS, a convite do engenheiro Paulo Poggy, coordenador do Projeto, contando ainda com as presenças dos engenheiros Silvio Campelo e Alcimar Macedo, ambos da Sudene, ficou decidido que a vazão a ser transposta deveria ser de 320 metros cúbicos por segundo, abandonando-se a ideia inicial dos 800 m3/s, que significava a retirada de um volume global de 8.294.400.000 m3 do Rio São Francisco, segundo os termos de referência da mencionada licitação. A reação a esse projeto, considerado, à época faraônico, foi de tal forma que o DNOS reduziu, mais uma vez, a vazão para 280 m3/s, ainda assim considerada exagerada, até mesmo por aqueles que sempre se posicionaram favoráveis a esse arrojado empreendimento como era o meu caso. Apesar disso, o projeto ficou engavetado por falta de decisão política, sob a alegação de que a sua execução deveria começar pela construção da Barragem do Castanhão, no Estado do Ceará, que era considerada o “pulmão” do sistema de transposição. A Barragem de Aurora, acima referida, foi, então, abandonada e substituída pela do Castanhão, com um volume d´água de 6,7 bilhões de metros cúbicos.
Com a extinção do Departamento Nacional de Obras e Saneamento (DNOS), no início de 1990, pelo então Presidente Collor de Melo, o DNOCS assumiu a responsabilidade de dar continuidade à várias obras daquele organismo federal, dentre elas, a do Açude Castanhão. Somente no segundo semestre do ano de 1994 é que, na sede do DNOCS, na Av. Duque de Caxias, em Fortaleza, quando se encontrava à frente do Ministéro da Integração Regional (depois cognominado de Ministério da Integração Nacional) o norte-riograndense Aloísio Alves, o Projeto de Transposição das Águas do Rio São Francisco, foi reanalisado e revisto. Segundo consta, a nova versão desse projeto, se encontra na biblioteca daquela Autarquia, em Fortaleza. Com essa reformulação, a vazão foi reduzida de 280 m3/s para 150 m3/s, sendo de 70 m3/s na primeira etapa. O novo projeto beneficiava os Estados de Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba através do que, mais tarde, viria a ser chamado de Eixo Norte. Ainda assim, a oposição dos que eram contra a esse empreendimento continuou cada vez mais acirrada.
Logo no princípio do primeiro mandado do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ele designou o seu Vice-Presidente, José Alencar, para coordenar o Projeto de Transposição do Rio São Francisco tendo ele feito, junto com outros Ministros, visitas a todos os Governadores dos Estados, direta ou indiretamente, envolvidos nesse empreendimento. Mas somente no primeiro semestre do ano de 2004, o então ministro da Integração Nacional, Ciro Ferreira Gomes, anunciava um novo projeto, que passou a denominar-se de “Interligação”, em substituição à “Transposição”, ressaltando o aproveitamento da infra-estrutura hídrica existente já realizada pelo DNOCS. No novo projeto foram introduzidas profundas modificações em relação às versões anteriores. Além do Eixo Norte, tradicionalmente objeto de estudos por parte do DNOCS, foi proposto o Eixo Leste, independente do primeiro, que beneficiará mais uma região dos Estados de Pernambuco e da Paraíba e, em especial, a cidade de Campina Grande. Desta forma, esse empreendimento, formado por dois sistemas independentes, garantirá o abastecimento de água, por todo o ano, às bacias hidrográficas localizadas na porção setentrional da região nordestina. Este novo projeto, definido pelo Ministério da Integração Nacional, estabelece uma vazão de 26m3/s para os dois eixos, podendo chegar a 127m3/s quando o reservatório de Sobradinho estiver cheio. Da vazão de 26 m3/s, caberá 18,5 m3/s ao Eixo Norte e 7,5 m3/s ao Eixo Leste.
A sinopse histórica dos estudos e projetos à indispensável “Interligação” comprova, irrefutavelmente, dever-se a esse atuante e secular organismo federal, o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas-DNOCS, nunca ter abandonado a ideia de ser, definitivamente, resolvida a angustiante e economicamente desastrosa ocorrência das secas nos sertões do setentrião nordestino, mediante a importação de água fluvial. Isto é apenas uma comprovação de que o DNOCS de hoje continua sendo o mesmo de quando foi inspirado pelo insigne homem público e notável pesquisador que foi o engenheiro Miguel Arrojado Lisboa, seu primeiro Diretor Geral, que conseguiu instalar no Nordeste brasileiro verdadeira escola de ciência e de humanidades onde o aprendizado tecnológico vem sendo constantemente aprimorado, através de várias gerações de profissionais dedicados e estudiosos, e onde se ensina e se pratica o verdadeiro amor á Pátria.
Nestes breves comentários, não existe a pretensão de fazer um relato mais profundo e proveitoso do trabalho que vem sendo executado pelo DNOCS nos seus 105 anos de existência (completa no dia 21 de outubro próximo). Mas há o propósito somente de prospectar uma visão futura da ação a ser desenvolvida por esse importante organismo regional, sediado em Fortaleza, não deixando de glorificar o seu passado de realizações que constitui o alicerce e a garantia que se projeta para o futuro com o reconhecimento de todo o povo nordestino.
Essa retomada de posição, que visa colocar o DNOCS na esfera de comando da gestão dos recursos hídricos no Nordeste que é, e sempre foi a sua vocação natural, cuja competência já foi demonstrada ao longo de sua história com o reconhecimento de várias entidades brasileiras e internacionais, entre as quais o Comitê de Grandes Barragens que, na década de 1970, afirmou, em uma de suas reuniões, que era a única entidade no Brasil que fazia a gestão dos recursos hídricos de seus açudes para usos múltiplos. Para comprovar a vocação e a competência do DNOCS na área de gestão dos recursos hídricos bastaria lembrar que foi ele quem instalou e operou a primeira rede hidrométrica básica do Nordeste recebendo o reconhecimento do Departamento Nacional de Águas e Energia Elétrica-DNAEE, com o qual foi firmado, no ano de 1979, um convênio para operação da rede fluviométrica do Estado do Piauí. Devido ao relativo êxito alcançado, os dois organismos federais resolveram ampliar o Acordo e firmaram um Convênio com a participação da Companhia Hidro Elétrica do Rio São Francisco-CHESF, desta vez abrangendo, não só o Estado do Piauí, como o Estado do Ceará. Tanto no primeiro, como no segundo caso, o DNOCS foi o executor, tendo utilizado suas equipes de hidrometristas lotados nos Serviços de Hidrologia das suas respectivas Diretorias Regionais.
São inumeráveis exemplos, como os que acima foram citados, que credenciam o DNOCS reivindicar, dentro de cada bacia hidrográfica do Polígono das Secas, a exceção da bacia do Rio São Francisco, o controle técnico ou a gestão dos usos da água, como modernamente se anuncia, em consonância com a Política Nacional de Águas estabelecidas pela denominada Lei das Águas, de Nº 9433, de janeiro de 1997 e com os Planos Estaduais de Recursos Hídricos. Em suma, dentro deste esquema operacional, caberia, também, ao DNOCS gerenciar o Projeto de Integração do Rio São Francisco às Bacias do Nordeste Setentrional, cabendo-lhe relacionar-se a outros organismos, tanto no plano federal, como no estadual e, até mesmo, no municipal.
Observação:
O Projeto da Transposição de Águas do Rio São Francisco para a Região Setentrional do Nordeste Brasileiro obedeceu a cinco fases distintas até a sua elaboração definitiva no primeiro mandato do Presidente Lula da Silva, tendo como Ministro da Integração Nacional o ex-governador do Ceará, Ciro Ferreira Gomes. Praticamente participei intensamente da segunda e terceira fase mas devo esclarecer que não tive qualquer participação no quinto estágio das discussões desse projeto na qual o ex-Ministro Ciro Gomes teve brilhante e decisiva atuação diante da forte resistência dos que se opunham à aprovação desse empreendimento. Porém ressalto que em todo o período das discussões, a partir do ano de 1978, estive sempre presente contribuindo com artigos, palestras e debates na imprensa falada, escrita e televisada de todo o Brasil, visando esclarecer a opinião pública nacional da importância desse projeto para a região nordestina. No documento, acima transcrito, de minha autoria, faltou dizer que sempre defendi esse projeto com, no máximo, 70 m3/s, entretanto na sua concepção definitiva os canais foram concebidos e estão sendo construídos para transportar 126 m3/s. Nos meus argumentos eu dizia que a vazão de 70 m3/s era como se fossem construídos em nossa região cinco açudes do porte do Açude Orós que tem uma vazão regularizada de 12 m3/s. No meu entendimento já seria uma grande conquista, além dos custos do empreendimento que poderiam ter sido significativamente reduzidos. Sem falar que os custos de manutenção dos canais e equipamentos do projeto, em sua totalidade, seriam igualmente substancialmente reduzidos. O artigo “Projeto São Francisco”, foi publicado na Revista Conviver, editada pelo DNOCS e BNB em outubro de 2009 por ocasião das comemorações dos 100 anos de fundação daquele extraordinário Departamento Federal. 
Cássio Borges é engenheiro civil, ex-Diretor Regional do DNOCS e de sua Diretoria de Estudos e Projetos tendo se especializado em Recursos Hídricos pela Escola Nacional de Engenharia e Pontifícia Universidade Católica, do Rio de Janeiro.

Qatar visita Arena Castelão


A experiência de sucesso na modernização da Arena Castelão atravessou o mundo. Uma comitiva de executivos do Qatar conheceu, ontem, a estrutura do equipamento e os projetos do Estado do Ceará para receber a Copa do Mundo de 2014.
A delegação composta por integrantes da Qatar Foundation e da Astad Project Management, responsáveis pela construção de parte das arenas para o Mundial de 2022. E o Castelão é visto como o exemplo ideal a ser aplicado no Oriente Médio, em especial porque o estádio cearense é bem parecido com o projeto de uma das arenas previstas para receber as semifinais da competição, por conta da capacidade superior aos 60 mil torcedores.
Os estrangeiros foram recebidos pelo secretário Especial da Copa 2014 no Ceará, Ferruccio Feitosa, na sede da Secopa. De tarde foi a vez do secretário apresentar o Castelão aos visitantes, ao lado do secretário-adjunto da Secopa, Osterne Feitosa. A surpresa foi a frase escrita nos dois telões do estádio desejando sucesso na realização do Mundial de 2022.
A delegação está no Brasil há mais de uma semana e conheceu estádios como o Maracanã, Arena Corinthians, Mineirão e Independência. Mas foi em Fortaleza que eles encontraram o melhor exemplo para aplicar no Qatar. “Este é o tipo de estádio que buscamos, o tipo de experiência que precisamos. O Castelão alia a modernidade, praticidade e um bom uso prático do dinheiro”, enalteceu Ouassim Alami, arquiteto para grandes projetos da Qatar Foundation, que projeta uma arena de 45 mil lugares para a competição.  
Já Ali Al-Khalifa, CEO da Astad Project Management, que projetará duas arenas, ressaltou o comprometimento e profissionalismo na realização da modernização do estádio e garantiu que o Castelão foi o que mais o impressionou na viagem pelo Brasil.
Ferruccio Feitosa aproveitou para apresentar as obras do Centro Olímpico do Nordeste, ao lado do Castelão, e para convidar ao visitantes a um breve retorno, na Copa do Mundo e para as Olimpíadas. "Saber que grupos internacionais de renome se espelham no trabalho desenvolvido no Castelão para aplicar na Copa de 2022 é a certeza de que todo o esforço valeu à pena. Dotamos a arena do que de melhor se pode oferecer no mundo e estamos à disposição para ajudar de todas as formas", destaca Ferruccio Feitosa.
(Assessoria de Imprensa).

De olho no Cearensão Onix 2014

  1. O Ceará ganhou de 1 a 0 do Guarany de Sobral pelo Hexagonal do Cearensão Onix 2014, noite passada, no estádio Presidente Vargas.
  2. Tadeu marcou aos 13 minutos do segundo tempo.
  3. Com a vitória alvinegra foi quebrada a invencibilidade do time sobralense no Cearensão.
  4. O único invicto é o Fortaleza.
  5. O Ceará já joga amanhã às quatro da tarde, no Romeirão, contra o conturbado Icasa.
  6. O Fortaleza recebe, também às quatro da tarde, no Guarany, no Presidente Vargas.
  7. Já o Horizonte, às quatro da tarde, pega o Guarani, no Domingão.
  8. A classificação atual é a seguinte:

SEGUNDA FASE - GRUPO: GRUPO ÚNICO
PosClubePGJGVitEmpDerGPGCSGApr. %
1Fortaleza157340146861.90
2Guarany (S)127331127557.14
3Ceará127331105557.14
4Horizonte76213815-738.89
5Guarani (J)57043713-619.05
6Icasa4611449-522.22

sexta-feira, 21 de março de 2014

Radioweb

De olho nas eleições 2014


  1. O PT vai administrar Crateús de abril de 2014 até dezembro de 2016.
  2. Na próxima semana o prefeito Carlos Felipe (PCdoB) renuncia para se candidatar a deputado estadual.
  3. Assume o petista Mauro Soares.
  4. Na primeira semana de abril fica a expectativa para renuncia do governador Cid Gomes (Pros).
  5. Ela renunciando assume como governador tampão, Domingos Filho (Pros).
  6. Renunciando, Cid Gomes vai se candidatar ao Senado.
  7. Expectativa ainda para saída de secretários estaduais e municipais.
  8. Ivo Gomes, George Valetim, Nelson Martins, Bismack Maia, Eugênio Rabelo, Fernando Oliveira e Izolda Cela são os secretários que podem sair dos governos municipal de Fortaleza e do Ceará para se candidatar.


Saúde em Pecém

Logo mais às nove da manhã, a Prefeitura de São Gonçalo do Amarante inaugura a Unidade Básica de Saúde do Planalto Pecém, localizada na Rua Nogueira da Costa. A concepção da obra faz parte de uma parceria entre o município e as empresas coreanas Posco E&C e SUNMOON. 
O valor total da obra foi de R$ 284.993,97, sendo R$ 19.694,18 oriundos de recursos municipais e incentivos financeiros provenientes de recursos federais. 
Dentre as especialidades médicas ofertadas no novo posto estão: Cardiologia, Urologia, Ginecologia, Otorrinolaringologista e Clínica Geral. Além disso, a unidade também contará com atendimentos odontológicos, beneficiando os mais de nove mil habitantes do distrito do Pecém.

De olho no Cearensão Onix 2014


  1. Hoje tem pelo Cearensão Onix 2014 Ceará x Guarany de Sobral, no Presidente Vargas.
  2. O jogo que vale pela volta do hexagonal do Cearensão Onix, começa às oito e vinte da noite.
  3. Meio campo alvinegro com as suspensões de João Marcos, Sousa e Ricardinho, vai de Michel, Amaral e Rogerinho.
  4. O Guarany está na vice liderança do haxagonal.
  5. Já o Ceará está em terceiro.

De olho no NBB


  1. O Basquete Cearense derrotou o Macaé (RJ) apertado por 78 a 75, ontem, no Paulo Sarasate.
  2. Com a vitória, o Basquete Cearense se classificou para as oitavas de final do Novo Basquete Brasil 2013-2014.
  3. Em 30 jogos na temporada, o Basquete Cearense soma 15 vitórias.
  4. No próximo dia três de abril, o Basquete Cearense recebe o Flamengo (RJ).
  5. Antes no sábado (29), às sete da noite, o Basquete Cearense enfrente o Mogi das Cruzes, em São Paulo.

De olho na Copa do Brasil 2014

  1. O Horizonte fez 3 a 1 no Fluminense (RJ), na estreia da Copa do Brasil 2014, no Domingão.
  2. O Horizonte, no jogo de volta, em dez de abril, às 21h50, no Maracanã, tem a vantagem de poder perder por um gol de diferença.

quinta-feira, 20 de março de 2014

Empreender 2014

Amanhã, durante café da manhã, no Espaço O Povo de Cultura e Arte (Avenida Aguanambi, 282), lançamento do Seminário Empreender 2014.

Plano de Cultura para Infância

De 28 a 30 de março gestores e articuladores de políticas públicas para a infância se encontram em Fortaleza. Em pauta, a discussão para a elaboração do PLANO ESTADUAL DE CULTURA PARA A INFÂNCIA. Com isso, o Ceará poderá ser o primeiro Estado a ter um plano de cultura com este foco.
O Plano de Cultura para a Infância do Ceará foi motivado a partir da mobilização nacional feita pelo GT Nacional Cultura Infância, por meio do qual foi elaborado o documento “Uma Política Pública para a Cultura da Infância”, dentro das suas propostas, se destacam a criação do Centro de Referência Nacional Cultura Infância e a previsão de 20% dos recursos do Ministério da Cultura – MinC para a infância.
Dessa forma, articuladores de políticas públicas para a Infância no Ceará se mobilizam junto à Secretaria de Cultura do Ceará – Secult, para que o Ceará seja o primeiro estado nordestino com o Plano Estadual de Cultura para a Infância elaborado para os próximos 10 anos, criando um instrumento democrático para nossos futuros gestores estaduais desenvolverem suas políticas culturais para as crianças cearenses.
A infância dificilmente se destaca entre as pautas das políticas culturais em todo o país. Essa displicência soma-se à instabilidade da gestão pública. Como resultado, o acesso à cultura passa a ser mais um direito violado à criança brasileira, ao lado da saúde, da educação, da moradia, entre outros. Fica evidente que essa situação precisa ser revertida o quanto antes.
O GT para criação do PLANO ESTADUAL DE CULTURA PARA A INFÂNCIA DO CEARÁterá mesa de abertura no dia 28 de março (sexta-feira) às 19 horas no auditório da Escola Porto Iracema das Artes, com a participação de Américo Córdula, Secretário de Políticas Culturais do MinC, Paulo Mamede, secretário de Cultura do Ceará, Magela Lima, secretário de Cultura de Fortaleza, e Karen Acioly (foto), representante do GT Nacional Cultura Infância.
Após a mesa de abertura, Emídio Sanderson, diretor do TIC – Festival de Teatro Infantil do Ceará, profere palestra com o tema “Plano de Cultura para Infância do Ceará: diagnóstico e desafios”.
Serão mobilizados cerca 50 participantes, entre representantes da sociedade civil e de órgãos públicos, que serão divididos em quatro GTs no dia 29 (manhã e tarde). No dia 30 pela manhã acontecerá a Assembleia Geral. O evento e voltado para convidados da sociedade civil e gestores públicos.
Este encontro é uma realização do TIC - Festival de Teatro Infantil do Ceará e da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará - Secult, promoção da Seara de Cultura e Desenvolvimento, produção Invento Produções Culturais, apoio Escola Porto Iracema das Artes, Portos do Conhecimento e Instituto Dragão do Mar. Agradecimentos à COELCE – Companhia Energética do Ceará.
POR QUE A CRIAÇÃO DO PLANO
No Ceará, a desatenção pública com a cultura para a infância reproduz o contexto nacional. Assim como em muitos estados, a sociedade civil cobre essa ausência dos governos por meio de projetos culturais com transversalidades junto à educação e à cidadania. Todavia, a quantidade dessas iniciativas é insuficiente para reverter os dramáticos indicadores sociais cearenses.
Pensando nisso, o TIC e a Secult, almejam elaborar o Plano de Cultura para a Infância do Ceará. O objetivo é levantar, por meio de uma escuta pública, as reais necessidades para a construção de um cenário cultural efetivo para as crianças cearenses, mobilizando diferentes atores sociais e culturais.
O Plano de Cultura para a Infância do Ceará é uma mobilização social dedicada às novas gerações. O intuito é institucionalizar uma política cultural na qual a criança é posta num novo patamar, reconhecendo-a como um indivíduo detentor de direitos essenciais para o seu desenvolvimento e, consequentemente, para o desenvolvimento do futuro do estado.
OS QUATRO GTS
• Cidadania e Diversidade Cultural
Mediadora: Ana Márcia Diógenes (CE) – Relator: Flávio Paiva (CE); 
• Patrimônio Cultural
Mediadora: Juliana Marinho (CE) – Relatora: Márcia Sampaio (CE); 
• Educação e Cultura
Mediadora: Cláudia Pires (CE) – Relatora: Tereza Tavares (CE); 
• Linguagens Artísticas
Mediadora: Karen Acioly (RJ) – Relatora: Paula Yemanjá (CE).
Cada partícipe receberá um diagnóstico do Plano Nacional de Cultura - PNC e do Plano Estadual de Cultura com as propostas relacionadas à Meta 47 do PNC, além do documento elaborado pelo GT Nacional Cultura Infância, a fim de fundamentar as proposições.

PROGRAMAÇÃO
DIA 28/03 (sexta)
19h – Mesa de Abertura com:
Américo Córdula - Secretário de Políticas Culturais do MinC
Paulo Mamede - Secretário de Cultura do Ceará 
Magela Lima - Secretário de Cultura de Fortaleza
Karen Acioly - representante do GT Nacional Cultura Infância.
20h30 – Palestra “Plano de Cultura para Infância do Ceará: diagnóstico e desafios” com Emídio Sanderson, diretor do TIC – Festival de Teatro Infantil do Ceará
21h – Coquetel de abertura com Reisado do Mestre Zé Pio
DIA 29/03 (sábado)
9h às 12h e 14h às 18h – Reunião dos Eixos Temáticos:
• Cidadania e Diversidade Cultural
Mediadora: Ana Márcia Diógenes (CE) – Relator: Flávio Paiva (CE); 
• Patrimônio Cultural
Mediadora: Juliana Marinho (CE) – Relatora: Márcia Sampaio (CE); 
• Educação e Cultura
Mediadora: Cláudia Pires (CE) – Relatora: Tereza Tavares (CE); 
• Linguagens Artísticas
Mediadora: Karen Acioly (RJ) – Relatora: Paula Yemanjá (CE).
DIA 30/03 (domingo)
9h – Café da manhã
9h30 às 12h – Assembleia Geral
SERVIÇO
GT para criação do PLANO ESTADUAL DE CULTURA PARA A INFÂNCIA DO CEARÁ - De 28 a 30 de março em Fortaleza. Abertura no dia 28 (sexta-feira) às 19 horas na Escola Porto Iracema das Artes (Rua Dragão do Mar, 160 – Praia de Iracema). Informações:fest.teatroinfantil@gmail.com – (85)3048-6077. Evento voltado para convidados da sociedade civil e gestores públicos.

Save The Date


Na Casa de Praia

A Casa de Praia já está com a programação definida para agitar este fim de semana. Programe-se para um dos melhores roteiros da cidade!  No sábado, o DJ André Guerreiro, vai dividir a noite com as bandas Hifi e The Mob.
Engana-se quem pensa que domingo é dia de descanso. No beach club mais querido do público de alto nível da cidade, os DJs Saul Merivot, Pedro Garcia (foto) e a Banda The Dillas se encarregam da animação e fazer todo mundo dançar.
Música de qualidade aliada a um cenário paradisíaco só se encontra na Casa de Praia, a melhor pedida da Praia do Futuro. A abertura do local é a partir das 11 horas. O roteiro musical inicia às 15 horas.  A partir das 16 horas, o valor da entrada custa R$ 30,00.
Informações:
Casa de Praia
Avenida Zezé Diogo, 6651
Telefone: (85) 8699.3006

Hoje na CMFor


Vereador do PCdoB é o líder do Executivo na CMFor - Foto: Genilson de Lima
Vereador do PCdoB é o líder do Executivo na CMFor – Foto: Genilson de Lima
O vereador Evaldo Lima (PCdoB) ressaltou a Data Magna do Ceará, que é comemorado no dia 25 de março. O parlamentar explicou que o Ceará foi a primeira província a abolir a escravatura, e que o Estado é terra da luz e berço da liberdade. Ainda em seu pronunciamento, o parlamentar destacou seu projeto de indicação de nº 77/2014, que propõe a obrigatoriedade de tornar subterrâneo todo o cabeamento instalado no Centro do Município.
“A gente tá apresentando esse projeto que é relevante para a cidade para que a gente conheça os céus de Fortaleza. Ele já existe em Jericoacoara, Sobral e em cidades europeias. A grande preocupação não é de natureza puramente estética, é a valorização da região mais importante da cidade, uma região que tem imenso potencial econômicos e social e marca da nossa cidade”, afirmou.

Vereador integra a bancada do PT na Câmara Municipal - Foto: Genilson de Lima
Vereador integra a bancada do PT na Câmara Municipal – Foto: Genilson de Lima
O vereador Acrísio Sena (PT) utilizou a tribuna para destacar dois projetos de seu mandato sobre a questão de estacionamentos irregulares e cobranças indevidas. De acordo com o parlamentar, os dois projetos tem por objetivo de garantir maior segurança para os donos que colocam seus veículos nos estacionamentos, e facilitar a legalidade dos proprietários dos estacionamentos.
“Para se ter ideia, de 200 estacionamentos visitados no centro, apenas 27 tem alvará de funcionamento. Nós trabalhamos um ano debatendo com Fecomércio, Associação de Estacionamento, com representantes de shopping centers, Decon, Corpo de Bombeiros e a Secretaria do Centro. Tudo isso foi debatido exaustivamente e tenho certeza que será uma das maiores contribuições para regulamentar o estacionamento de Fortaleza”, salientou.


Vereador lidera a oposição na Câmara Municipal - Foto: Genilson de Lima
Vereador lidera a oposição na Câmara Municipal – Foto: Genilson de Lima
O vereador Guilherme Sampaio (PT), utilizando a tribuna nesta quinta-feira, 20, destacou a visita da presidente da República, Dilma Rousseff ao Estado do Ceará. O momento marcou a entrega de equipamentos de apoio as ações de 140 municípios cearenses no combate à seca e a assinatura do último trecho do Eixão das Águas. Foram entregues 41 caminhões caçamba, duas motoniveladoras, 70 pás carregadeiras e 59 caminhões-pipa provenientes do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2).
O parlamentar ressaltou o empenho do Governo Federal na viabilização de obras nos municípios com 50 mil habitantes. Dentre os benefícios estão a construção de barragens, açudes e estradas, promovendo às Prefeituras meios próprios para enfrentamento à seca. Para Guilherme as ações do Governo Federal são fundamentais diante da maior seca dos últimos 40 anos.


Vereador integra a bancada do PROS na Câmara Municipal - Foto: Genilson de Lima
Vereador integra a bancada do PROS na Câmara Municipal – Foto: Genilson de Lima
O vereador Carlos Dutra (PSDB) destacou na sessão plenária desta quinta-feira, 20, situações enfrentadas por mulheres nos transportes públicos, como metrô e ônibus. O parlamentar relatou a atuação desrespeitosa de homens nos coletivos e metrôs, e que a situação deve ter uma punição. O tucano ressaltou audiência pública na CMFor na sexta-feira, 21, para tratar do serviço dos motoristas do transporte coletivo da Capital.






Vereador é o líder do PTN na Câmara Municipal - Foto: Genilson de Lima
Vereador é o líder do PTN na Câmara Municipal – Foto: Genilson de Lima
O vereador Fábio Braga (PTN) comentou matéria do Diário do Nordeste, que destaca o arquivamento de projetos de indicação da CMFor. O parlamentar, autor de vários indicativos na Casa, ressaltou como válidas as propostas nos projetos e que as ações estão sendo implementadas pelo Executivo. “Acho os indicativos uma contribuição muito boa ao Executivo, todas as propostas nascem de reuniões com as comunidades sobre as problemáticas dos bairros de Fortaleza”, retratou. O parlamentar citou como exemplo assinatura de várias ordens de serviço no Município e que foram problemas apontados nos indicativos.
Produção Assessoria de Imprensa da CMFor

Seguidores

Arquivo do blog