Pesquisar no blog

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Ceará-Portugal

O vice-presidente da Câmara Brasil-Portugal no Ceará (CBP-CE), Rômulo Alexandre e um grupo de empresários e gestores cearenses participam da Web Summit 2016, de 7 a 10 de novembro. O encontro é considerado um dos maiores eventos tecnológicos do mundo e a cidade já é chamada a Los Angeles da Europa, pela capacidade de atrair diversas empresas com projetos inovadores provenientes de várias partes do mundo. Mais de 50.000 pessoas, entre CEO’s, fund​adores, startups, investidores e líderes políticos estarão em Lisboa nesse período, para debater diversos temas ligados à revolução tecnológica que a sociedade vem e continuará vivenciando nos próximos anos. 
Rômulo Alexandre, que também é sócio da Roundabout, startup voltada para comunidades planejadas, afirma que a organização dessa delegação cearense tem por objetivo influir para uma maior aproximação entre os mercados de tecnologia europeu e brasileiro e dar os primeiros passos para estabelecer um corredor atlântico entre Fortaleza e Lisboa. “Nosso objetivo é conhecer e estreitar laços com gente e ideias inovadoras. Daqui do Ceará vão alguns talentos da área de tecnologia, empreendedorismo, direito, comunicação, associativismo empresarial, administração pública e outras áreas atingidas por esse novo mercado. Esperamos que voltem com um novo olhar sobre as possibilidades de cooperação internacional nas suas áreas”. 
Realizado em Dublin (Irlanda) nos últimos sete anos, a Web Summit 2016 reunirá pessoas de 165 países e cerca de 15.000 companhias. A estimativa da organização do evento é que sejam injetados € 200 milhões na economia de Lisboa no período. Portugal foi escolhido também para sediar nos próximos dois anos o evento. “Trabalharemos a médio prazo, aproveitando os 3 anos que a Websummit se realizará em Lisboa. Esperamos que em 2017 e 2018 as ações bilaterais entre o Ceará e Portugal sejam mais intensas nas áreas de tecnologia e inovação e, deste modo, mais empreendedores possam utilizar Lisboa como ponte para aceder ao mercado Europeu e Fortaleza como porta de entrada para o gigante mercado brasileiro”, conclui Rômulo Alexandre.​

Nenhum comentário: