Combate ao câncer


O Banco do Nordeste destinará R$ 2,1 milhões a projetos de combate ao câncer e de atenção a saúde de pessoas com deficiência. Os recursos são oriundos de dedução fiscal e serão aplicados em projetos aprovados pelo Ministério da Saúde dentro do Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon) e do Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (Pronas/PCD).
O Pronon tem a finalidade de captar e canalizar recursos para a prevenção e o combate ao câncer, englobando a promoção da informação, a pesquisa, o rastreamento, o diagnóstico, o tratamento, os cuidados paliativos e a reabilitação referentes a tumores malignos e afecções correlatas.
Já o Pronas é voltado para o estímulo e desenvolvimento da prevenção e da reabilitação da pessoa com deficiência, o que compreende promoção, prevenção, diagnóstico precoce, tratamento, reabilitação e indicação e adaptação de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção, em todo o ciclo de vida.
Seleção
A seleção será realizada com base em projetos aprovados pelo Ministério da Saúde na área de atuação do Banco do Nordeste. As iniciativas serão avaliadas por comissão interna, tendo como referência critérios técnicos pré-estabelecidos para enquadramento e análise, visando o atendimento de pessoas de baixa renda.
Depois da aprovação e da homologação dos projetos selecionados pela Diretoria Executiva do Banco do Nordeste, será firmado termo de doação com as entidades executoras. Com a liberação dos recursos, a execução dos projetos passa a ser acompanhada e fiscalizada pelo Ministério da Saúde.
Beneficiados
Em 2015, o Banco do Nordeste destinou R$ 1,4 milhão para o Pronas e Pronon, beneficiando 3.576 pessoas, entre pacientes com câncer e portadores de deficiência.

Comentários