Presidente do Senado

                       Eunício é o novo presidente do Senado Federal
O senador cearense defendeu o equilíbrio harmônico entre os Poderes, diálogo com a sociedade, modernização e atualização do regimento interno do Senado e a reformulação do pacto federativo

O plenário do Senado elegeu nesta quarta-feira (01), com 61 votos, o senador cearense Eunício Oliveira (PMDB) para presidir a Casa durante o próximo biênio. Ele concorreu ao cargo após ter a indicação aclamada pela bancada do PMDB, a maior da Casa. Depois de 24 anos, o Senado volta a ser presidido por um parlamentar cearense.

Ao ser escolhido por ampla maioria, Eunício pediu a união entre os senadores para que o parlamento consiga resgatar a confiança e consiga se reaproximar da sociedade. “Quero ser o presidente de um Senado unido. De uma Casa focada na difícil missão de acalmar as águas desse mar revolto da política brasileira”, defendeu.

Ainda em tom pacificador, Eunício deixou claro que irá trabalhar pelo equilíbrio harmônico entre os Poderes e Instituições da República. “O Senado Federal tem a obrigação de trabalhar, em colaboração com os demais poderes e instituições da República, para implementar ações que recoloquem o Brasil nos trilhos do crescimento, dos investimentos que geram emprego e mais justiça social”, acrescentou.

Ao mesmo tempo, o peemedebista argumentou que é preciso assegurar o funcionamento pleno do estado de direito e de cada uma das instituições da República sem interferências. “Mas é essencial ser firme, ser duro e ser líder quando um poder parece se levantar contra o outro”, afirmou.

O novo presidente do Senado também conclamou os pares a debater soluções para os graves problemas que afligem o país, que representam grandes desafios não apenas para o Governo Federal, mas também o para os estados, municípios e o distrito federal, destacando a necessidade de se rediscutir o pacto federativo. Ele citou como exemplos a queda da arrecadação, o desemprego, a instabilidade do sistema penitenciário e o desgaste da previdência social.

Eunício defendeu ainda, após ouvir as bancadas partidárias, a atualização e modernização do Regimento Interno e do Regulamento do Senado, de modo a “arejá-los e adequá-los aos novos tempos. O parlamentar acredita que deve ser reduzida ao mínimo a criação de Comissões Especiais, por entender que estas restringem o debate nas comissões permanentes.

Em 2017, o Senado Federal deve ser um dos protagonistas no esforço de recompor as estruturas econômicas, fiscais e político-partidárias com medidas que levem o Brasil a retomar, com força, o caminho do desenvolvimento e da coesão nacional”, declarou Eunício, ao fazer uma sudação também aos servidores do Senado Federal.

Ao agradecer a confiança depositada pelos pares e pela sociedade, Eunício assegurou que dedicará a alma e a experiência adquirida ao longo de sua trajetória para presidir o Congresso Nacional. “Sou um homem experimentado e um sertanejo forjado no enfrentamento de desafios. Quero oferecer ao Senado Federal toda a minha capacidade gerencial e política em prol da sociedade brasileira e do Brasil”.

Eunício ainda apontou o diálogo com governos, partidos, sociedade civil organizada, entidades sindicais e empresariais como caminho para a retomada da confiança da sociedade no Parlamento, no Estado e nas instituições, “Cabe a esta Casa a missão de, nesse momento, colaborar no esforço de unir o país em torno de um projeto comum de desenvolvimento”, ponderou.


Trajetória


Eunício Oliveira está em seu primeiro mandato como senador pelo estado do Ceará. Filho de Lavras da Mangabeira, foi ainda jovem para Fortaleza, onde iniciou a militância política no movimento estudantil. Filiado ao Movimento Democrático Brasileiro, que viria a se tornar o PMDB, engrossou as fileiras da luta pela redemocratização do Brasil.

Casado com Mônica Paes de Andrade Lopes de Oliveira, empreendeu uma exitosa carreira empresarial, o que lhe conferiu independência para ingressar na vida pública de forma integral. Assumiu a presidência do PMDB no estado do Ceará e integrou a participou da comissão executiva nacional do partido.

Foi eleito deputado federal por três mandatos consecutivos, em 1998, 2002 e 2006. Assumiu posições importantes na Câmara dos Deputados, como a liderança do PMDB e membros das Comissões de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural; Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática; Defesa do Consumidor, Meio Ambiente e Minorias; Desenvolvimento Urbano e Interior; Relações Exteriores e de Defesa Nacional; Viação e Transportes; Turismo e Desporto.

Foi Ministro das Comunicações nos anos de 2004 e 2005, ocasião em que implementou o maior programa de inclusão digital da América Latina, ampliando as oportunidades para os jovens e promovendo um maior equilíbrio regional no Brasil. Deu início ainda à implantação do sistema de TV Digital no país.

Em 2010, foi o político mais votado da história do Ceará, elegendo-se para o Senado Federal com 2.688.833 votos. Integrou as principais Comissões da Casa, como as Comissões de Constituição e Justiça, Comissão de Assuntos Econômicos, Comissão de Ciência e Tecnologia e Comissão Mista de Orçamento.

A relevância da atuação de Eunício em defesa do Ceará também se destaca pela constante intercessão junto aos órgãos competentes do Governo Federal. Tem assumido posição de relevo na proteção aos agricultores e pecuaristas, na defesa da internet de banda larga fixa sem limite para dados para os consumidores, na garantia da segurança hídrica para o semiárido e na reforma política que contemple os desafios da democracia brasileira.

Com uma trajetória ilibada, forjada no diálogo e na capacidade de liderança, Eunício assume a presidência do Senado com a missão de zelar por uma concreta relação de independência e harmonia entre os Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, reconstruir o pacto entre os entes federativos e estabelecer pautas que mantenham o Brasil na rota do desenvolvimento econômico com justiça social.

Comentários