No TCE-CE

Qualidade e agilidade. Estes são os dois eixos de atuação para a elaboração do segundo Planejamento Estratégico 2018-2023, da Associação dos Tribunais de Contas do Brasil, de acordo com o 1º vice-presidente da entidade, conselheiro Valter Albano. “Se a gente trilha um planejamento, teremos um caminho mais curto e eficaz, e os resultados dos projetos, sem dúvidas, serão extraordinários”, ressaltou.
Na manhã de hoje, o TCE Ceará recebeu uma comitiva, que está visitando as 34 Cortes de Contas do País, para coletar informações e sugestões para a elaboração do Planejamento Estratégico da Atricon. A equipe foi recebida pelos conselheiros Valdomiro Távora, Soraia Victor, pelo conselheiro substituto Itacir Todero e pelo procurador-geral de Contas, Aécio Vasconcelos. 
O conselheiro Albano citou os resultados do projeto “Marco de Medição da Qualidade e Agilidade dos Tribunais de Contas (MMD-QATC)”, como matérias-primas para a melhoria das Cortes de Contas, onde as diretrizes podem embasar o planejamento ou replanejamento do TCs. “Quando você atua, ainda que eficientemente, mas de forma atrasada, perde o valor social e a população exige a resposta em tempo real”, destacou.
Sobre a atuação dos Tribunais de Contas brasileiros perante a sociedade, Valter Albano destaca que as Cortes, quanto mais eficientes forem, mais se colocam perante o pensamento social. “Os desafios aumentaram muito, mas a Atricon, na pessoa do presidente Valdecir Pascoal e de todos os membros, trabalha de forma incessante para colocar as coisas nos devidos lugares. Nossa luta é incansável e permanente no Congresso Nacional, seja para acompanhar a legislação sobre a Administração Pública, sobre o controle, sobre a responsabilidade fiscal, seja pra defender os Tribunais de Contas e nós, os membros.”
No TCE Ceará, a diretoria da Atricon ouviu atentamente os representantes da Corte estadual, com suas sugestões de melhorias, visando contribuir com a qualidade, agilidade e transparência nas ações da entidade. “A Atricon quer a opinião do Tribunal de Contas do Ceará, para saber como devemos atuar nos próximos seis anos, ou seja, três mandatos de dois anos,” disse o Conselheiro Valter Albano.
Até julho de 2017, deverá ser remetido um questionário aos presidentes dos Tribunais. As visitas às 34 Cortes de Contas brasileiras serão encerradas em 31 de agosto. O resultado dessa coleta de informações, para a elaboração do Planejamento Estratégico 2018-2023 da Atricon, deverá estar sistematizado até setembro. A proposta é que uma assembleia-geral aprecie o P.E. antes do Congresso dos Tribunais de Contas do Brasil, até o final deste ano. “O resultado desse planejamento será o ponto de referência para os próximos gestores da Associação dos Tribunais de Contas do Brasil e do Instituto Rui Barbosa, o IRB.
Além dos membros do TCE Ceará e do conselheiro Valter Albano, participaram da reunião os conselheiros Fábio Túlio Nogueira (TCE-PB), o conselheiro substituto Jaylson Campelo (TCE-PI); e a conselheira substituta Jaqueline Jacobsen (TCE-MT), além dos assessores do TCE-MT, Risodalva Castro, Amanda Agustinho e Carlos Romeu.

Comentários