O lucro do BB

O Lucro Líquido Ajustado do BB foi de R$ 2,515 bilhões no 1T17, com crescimento observado de 95,6% em 12 meses. O RSPL foi de 12,4% a.a. O Lucro Líquido por ação do BB foi de R$ 0,86 no trimestre, 43,9% maior frente ao 4T16. A remuneração aos acionistas alcançou R$ 710,3 milhões. 
Margem Financeira Bruta cresce 1,4% em 12 meses
Totalizando R$ 14,5 bilhões e incremento de 1,4% frente ao 1T16, destaque para a redução das despesas financeiras de captação e institucional e para a maior recuperação de crédito verificada em um primeiro trimestre nos últimos cinco anos.
Rendas de Tarifas crescem 12,3% em 12 meses
O desempenho decorre, principalmente, da evolução das rendas de tarifas de administração de fundos e de contas correntes, respectivamente maiores em 29,3% e 11,3%, frente ao 1T16, impulsionando a participação da prestação de serviços bancários na rentabilidade do banco.
Despesas Administrativas recuam 9,8% no trimestre
Fruto do rígido controle de gastos e da reorganização institucional, anunciada em novembro/16, a despesa de pessoal apresentou redução de 10,2% e as outras despesas administrativas reduziram em 9,1%, na comparação ao trimestre imediatamente anterior.
Carteira Rural cresce 5,7% em 12 meses
A carteira de Crédito Rural cresceu 5,7% em 12 meses, alcançando R$ 152,2 bilhões. As operações de custeio cresceram 8,9%, também frente a Mar/16. O Banco mantém-se, historicamente, como o principal agente financeiro do agronegócio no país. Conforme dados do Sistema Nacional de Crédito Rural (SNCR), o BB detinha, em Mar/17, 58,4% de participação nos financiamentos destinados ao setor.
Crédito às Pessoas mantém foco em linhas de menor risco
A Carteira Orgânica PF encerrou o 1T17 com saldo de R$ 172,1 bilhões e crescimento de 1,8% em 12 meses. As linhas de menor risco (Crédito Consignado, CDC Salário, Financiamento de Veículos e Imobiliário) continuam expressivas, alcançando 75,9% do total da carteira. Destaque para o CDC Consignado e Financiamento Imobiliário, com saldo de R$ 105,1 bilhões e crescimento de 4,0% nos últimos 12 meses. 
Carteira de Crédito Imobiliário cresce 6,6% em 12 meses
A Carteira de Crédito Imobiliário total, incluindo as operações para financiamento à produção, apresentou crescimento de 6,6% em 12 meses, alcançando saldo de R$ 53,7 bilhões no 1T17. O Financiamento Imobiliário PF apresentou crescimento de 10,9% na mesma comparação, alcançando saldo de R$ 42,6 bilhões.
Indicadores de inadimplência do BB em linha com o SFN
O índice de inadimplência Inad+90 (relação entre as operações vencidas há mais de 90 dias e o saldo da carteira de crédito classificada) foi de 3,89% no 1T17, ante 3,80% do SFN. O Inad+90 do BB, excluindo-se desta um caso específico, seria 3,47% no 1T17, abaixo do SFN.
Volume transacionado com cartões cresceu 3,5% no 1T17
O volume financeiro transacionado com cartões de crédito e débito alcançou R$ 66,4 bilhões no 1T17, crescimento de 3,5% ante mesmo trimestre do ano anterior. Destaque para o crescimento das transações tradicionais, formadas por compras em estabelecimentos comerciais do varejo, cujo crescimento foi de 8,2% no período. 
BB DTVM amplia captação e mantém liderança no Ranking Anbima
Mantivemos a liderança da indústria de fundos de investimentos através da BB Gestão de Recursos (BB DTVM), com 23,0% de participação de mercado e patrimônio líquido de R$ 798,7 bilhões ao final do 1T17, registrando o maior crescimento nominal dentre as assets, R$ 67,8 bilhões em relação ao trimestre anterior. Na comparação com o 1T16, o crescimento nominal alcançou 23,9%. A captação líquida foi positiva em R$ 49,1 bilhões, tendo como principal destaque a categoria Renda Fixa, com entrada líquida de R$ 43,4 bilhões. A asset manteve a liderança nos segmentos Investidores Institucionais, Poder Público e Varejo, o segundo lugar em RPPS e Varejo Alta Renda, e terceira colocação em Corporate, Middle Market e Estrangeiros.
BB Seguridade lucrou R$ 992,8 milhões no 1T17
A BB Seguridade apresentou lucro líquido de R$ 992,8 milhões no 1T17. O resultado é 3,7% superior ao registrado em Mar/16. As receitas nos segmentos de seguros, previdência e capitalização totalizaram R$ 14,8 bilhões, com crescimento de 17,2% se comparado ao 1T16. 
Destaque para o segmento de previdência, que atingiu R$ 10,0 bilhões em contribuições, crescimento de 26,7% em relação ao mesmo período do ano anterior. O aumento das contribuições, associado à manutenção de um baixo índice de resgate levaram a Brasilprev a atingir a marca de R$ 208,5 bilhões em reservas em Mar/17, crescimento de 32,5% em 12 meses.

Comentários