Ceart até hoje no Anhembi

Arte cearense no Anhembi (foto Marcos Studart)
O Governo do Ceará, através da Central de Artesanato do Ceará (Ceart), participa da I Feira Brasil Original, que ocorre até hoje (23), no Pavilhão de Exposição Anhembi, em São Paulo. O evento é uma grande vitrine para exposição e venda de produtos artesanais. A previsão é de que a Feira receba 20 mil visitantes ao longo dos quatro dias de duração em uma área de 18 mil metros quadrados. A feira é uma parceria do Programa de Artesanato Brasileiro (PAB), os programas de artesanato estaduais e o Sebrae Nacional.
Artesãos representantes de 12 entidades artesanais ou grupos produtivos estão expondo produtos artesanais das tipologias mais representativas do artesanato cearense, como fibras vegetais, couro, madeira, areia colorida, papel/xilogravura, fios e tecidos. Os fios e tecidos são renda de bilro, bordado, crochê e tecelagem, por exemplo. O artesão Cícero Caetano Rodrigues, conhecido como Zumbi, da Associação dos Artesãos do Juazeiro do Norte - Mestre Noza, disse que sem o apoio do Estado os artesãos não teriam condições de estar na feira. "O Governo sempre está nos apoiando. Estamos com tudo pago e ainda com ajuda de custos. Eu estive também em agosto na 2ª edição do Casa Cor Arte & Design", ressaltou. Cícero ainda destacou a importância dos artesãos participarem de feiras. "Você divulga o seu trabalho, a cidade, os artesãos da sua associação, vende os produtos e ainda recebe encomenda", pontuou.
A artesã Lúcia Raimundo Rodrigues, de Itapipoca, trabalha com a renda de bilro e está muito feliz por expor o artesanato cearense em São Paulo. "É uma grande honra! Estou vendendo tudo e ainda estou levando encomenda. Só tenho a agradecer o que a primeira-dama e o governador têm feito pela gente. Estou muito satisfeita! E que eles continuem nos apoiando e olhando para gente", afirmou.
Maviniê Mota, artesã de areia colorida, da Associação Grão de Cor, de Fortaleza, reforçou a importância do Governo do Ceará levar os artesãos para as feiras. "Estas feiras são cartão postal do artesão. É uma maneira de divulgar o nosso trabalho no mercado nacional e também no internacional. Eu vendi todos os meus produtos no primeiro dia. Estou trabalhando ao vivo e já vendendo. Tudo que eu faço, eu vendo e ainda recebo encomenda. Trabalhando ao vivo, estou também divulgando a nossa cultura", disse.
Historicamente, o Ceará desponta no cenário nacional como um Estado que reconhece no artesanato uma de suas grandes vocações produtivas cumprindo importante papel no desenvolvimento regional. Além do elevado potencial de geração de emprego e renda, o setor promove a inserção da mulher e do jovem na cadeia produtiva e comercial, fixa o artesão em seu lugar de origem e consolida a identidade cultural cearense.
O Programa de Desenvolvimento do Artesanato do Estado do Ceará (PDA), vinculado à Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS), é a política pública do Governo do Ceará destinada ao setor e tem o objetivo de valorizar o artesanato cearense preservando a cultura, o talento, a tradição e a arte popular de cada região do Estado. Dessa forma, desenvolve ações e projetos para qualificação de artesãos, apoia a comercialização, realiza a gestão da Ceart e gerencia o Fundo Especial de Desenvolvimento e Comercialização do Artesanato (Fundart).
Saiba mais
O Governo do Ceará é um grande incentivador dos artesãos cearenses. O governador Camilo Santana assegurou ao artesão cearense a isenção fiscal do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) tanto para vendas ao consumidor final como para os lojistas, em todo o Estado. Em setembro de 2015, o atual governo lançou o Selo Ceart (Certificação da Autenticidade dos Produtos Artesanais e de Reconhecimento das Obras de Arte Popular Cearenses). Camilo garantiu ainda a realização de feiras e capacitações de artesãos para aperfeiçoar o design do produto, além da construção do novo Centro de Rendeiras da Prainha e a abertura de uma nova loja na Praça Doutor Carlos Alberto Studart Gomes, conhecida como Praça das Flores, em Fortaleza, que será inaugurada em breve. Outro aspecto relevante que caracteriza o apoio e incentivo do Estado ao setor artesanal é a manutenção das lojas CEART. Atualmente, são cinco: Galeria Mestre Noza, na Praça Luíza Távora; no shopping Rio Mar Fortaleza, Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, e ainda nos municípios de Aracati, com a loja localizada na Praia de Canoa Quebrada; e ainda a de Guaramiranga.

Comentários