Dona Zefinha na Praça dos Leões dia 12

Orlângelo Leal (foto Joélia Braga)

Das brincadeiras de infância, no interior do Ceará, aos palcos da vida, já se passaram 25 anos. Entre invenções e intervenções estéticas, em que a arte se torna tão plural e autêntica – à exemplo do grupo Dona Zefinha - Orlângelo Leal permanece com a mesma mente vibrante e criativa dos tempos de menino em Itapipoca, mostrando que o amadurecimento artístico é um processo quase que diário, entre descobertas, vivências e troca de ideias e saberes. E como forma de celebrar e (re)lembrar esses tantos anos de carreira, este jovem artista veterano traz o espetáculo “Autômato”. 
pós passar pelo Centro Cultural Banco do Nordeste (CCBNB), o projeto integra agora a programação da XV Feira da Música, com apresentação no feriado de 12 de outubro (quarta-feira da próxima semana), às nove da noite, na Praça dos Leões.
Nessa intervenção performática, o intérprete/criador usa instrumentos musicais excêntricos, como o marimbau e a flauta nasal, para produzir efeitos sonoros ao vivo, combinando humor e dança numa divertida brincadeira cenomusical e irreverente. Orlângelo representa um ser compulsivo, uma espécie de esquizofrênico sonoro, que executa e grava músicas em tempo real com o auxílio de um loop. As músicas compostas em cena viram pano de fundo para sua diversão, prazer e gozo e, aos poucos, vão surgindo trilhas para dançar, manipular objetos, andar de skate e para um diálogo visceral com o público.
“Autômato é meu primeiro trabalho solo, pensado justamente para celebrar os meus vinte e cinco anos de carreira. A ideia foi criar uma obra universal e transversal, em que música, dança e humor se tornam uma arte única”, afirma Orlângelo.
A inspiração para o espetáculo, como não poderia deixar de ser, está na sua própria trajetória, no que viveu e aprendeu ao longo desses 25 anos de carreira, e na memória de uma vida quase que totalmente dedicada à arte. “A nostalgia conduziu o processo de montagem do trabalho, quando vasculhei meu passado, analisei o banco de dados, olhando fotos e ouvindo gravações, por exemplo. Autômatos surgiu dessa reconstituição da memória pessoal”, explica.
Arte transversal
Ator, dramaturgo, diretor teatral e compositor, Orlângelo Leal começou a se descobrir como artista ainda criança, brincando ao lado dos irmãos Paulo Orlando e Ângelo Márcio na cidade de Itapipoca. O amadurecimento como artista se deu no cotidiano com o grupo Dona Zefinha, onde exercitou a dramaturgia e roteiros para shows, compôs canções e temas instrumentais para os quatro discos da banda, além de atuar e dirigir todos os 15 espetáculos da companhia.
Pela Dona Zefinha, atuou em grande parte do território nacional e fez turnês internacionais em 10 países, como Alemanha, Coréia do Sul, Hungria, Colômbia e Portugal. Por meio da Casa de Teatro Dona Zefinha, sede do grupo em Itapipoca, publicaram o livro de dramaturgia "Artes da Enganação" com apoio da FUNARTE/2014.
SERVIÇO: Autômato, com Orlângelo Leal, na 15ª Feira da Música
Dia: 12/10
Horário: 21 horas
Local: Praça dos Leões
Informações: (85) 3262.5011
GRÁTIS

Comentários