Itaipu informa

Uma falha que ainda está sendo investigada provocou o desligamento no sistema de transmissão de corrente contínua que escoa a energia do setor 50hz da usina de Itaipu para o Brasil. O incidente ocorreu às 19h50 de ontem (16). Todas as unidades geradoras da usina de Itaipu seguiram funcionando normalmente, mas as unidades geradoras do setor 50hz ficaram "girando em vazio", ou seja, aguardando a normalização do sistema de transmissão para produzir.
No momento da ocorrência, o setor 50hz da usina de Itaipu produzia 1.600 MW para o Paraguai e 5.200 MW para o Brasil. O Paraguai ficou sem energia por meia hora. O sistema todo de Itaipu para a Ande (estatal paraguaia) foi restabelecido às 21h15. Itaipu não teve nenhuma responsabilidade em relação ao incidente.
No lado brasileiro, o sistema de transmissão voltou a escoar energia de 50hz às 23h04. Por volta das 0h40, o sistema de transmissão de corrente contínua já permitia que a usina produzisse 2.600 MW para o Brasil. À 1h52, a produção já atendia a programação normal de 4.800 MW.
O setor de 60Hz da usina de Itaipu não teve qualquer impacto negativo na sua produção, que encontrava-se em 5.700 MW no momento da ocorrência e elevou-se temporariamente para 6.400MW pela regulação primária, contribuindo positivamente para a estabilização durante a perturbação nacional.
A Itaipu - Com 20 unidades geradoras e 14.000 MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, mais de 2,37 bilhões de MWh. A hidrelétrica é responsável pelo abastecimento de cerca de 15% de toda a energia consumida pelo Brasil e de 75 % do Paraguai. Desde 2003, Itaipu tem como missão empresarial “gerar energia elétrica de qualidade, com responsabilidade social e ambiental, impulsionando o desenvolvimento econômico, turístico e tecnológico, sustentável, no Brasil e no Paraguai”. A empresa tem ainda como visão de futuro chegar a 2020 como “a geradora de energia limpa e renovável com o melhor desempenho operativo e as melhores práticas de sustentabilidade do mundo, impulsionando o desenvolvimento sustentável e a integração regional”.





Comentários