No Dragão

Programação do Dragão 18 a 23 de outubro 

FUNCIONAMENTO DO DRAGÃO DO MAR
// Geral: de segunda a quinta, das 8h às 22h; e de sexta a domingo e feriados, das 8h às 23h.
// Bilheterias: de terça a domingo, das 14h às 20h.
// Cinema do Dragão-Fundação Joaquim Nabuco: às segundas-feiras, às 19h; e de terça a domingo, das 14h às 22h.
// Museus: terça a sexta, das 9h às 19h (acesso até as 18h30); sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Gratuito.
// Multigaleria: terça a domingo, das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Gratuito.
// Atenção: às segundas-feiras, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura não abre cafés, museus, Multigaleria e bilheterias.
Acompanhe nossa programação também pelas redes sociais:
Facebook: Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura
Instagram: @dragaodomar
Twitter: @_dragaodomar


► I Festival das Travestidas

Segue até quarta (19), o I Festival das Travestidas, no Centro Dragão do Mar. Iniciado no último dia 13, o festival é uma realização do Coletivo Artístico As Travestidas, que celebra os 12 anos de existência do grupo. O festival reúne os espetáculos que marcaram a história do grupo e que foram sucesso de público, como "Cabaré das Travestidas" e "Quem Tem Medo de Travesti", e ainda a mais nova produção, "Três Travestis". Tudo isso, no Teatro Dragão do Mar, com ingressos de R$ 20 e R$ 10 (meia).
No hall do Teatro, o coletivo apresenta uma exposição composta pela história do grupo, cartazes, banners, criticas e materias de jornais, além de adereços de cena, figurinos e vídeos produzidos pelo Coletivo.

Teatro engajado

O intuito do I Festival das Travestidas é fortalecer discussões na construção de um teatro com engajamento social, capaz de provocar questionamento e possíveis mudanças sociais através de questões de Identidade sexual e Gênero, além de fomentar e fortalecer os estudos sobre arte, ativismo e políticas públicas LGBTTT.

O festival consolida as ações desenvolvidas por um grupo de artistas que visa contribuir, através do teatro, para uma sociedade menos preconceituosa e mais tolerante. O mesmo projeto também garante a existência de um grupo de teatro de Fortaleza com forte atuação na cena local e nacional, além de promover a manutenção e a fruição de novos projetos.

Tal projeto se faz URGENTE na nossa sociedade quando identificamos o Brasil como o primeiro lugar no ranking de assassinatos causados por homolesbotransfobia e sendo o Nordeste uma das regiões com maior índice. Deste modo, é necessário abordar e questionar, mas, principalmente, promover ações capazes de tornarem o assunto vivo e capazes de fortalecerem as políticas públicas defensoras do direito e do respeito à liberdade de ser, de ir e vir.

// Programação

Dia 18 de outubro | Terça-feira

20h – Espetáculo "Três Travestis"
Em "Três Travestis", nova produção do coletivo As Travestidas, Gisele Almodóvar (Silvero Pereira), Mulher Barbada (Rodrigo Ferrera) e Betha Houston (George Hudson) cantam um repertório de 17 músicas, com sucessos nacionais e internacionais que falam sobre travestis e transexuais. A MPB de Gilberto Gil, Ney Matogrosso e Maria Bethânia e músicas selecionadas de Nina Simone e Anthony Johnson são entoadas pelo trio que, como já é de costume, fazem uma abordagem crítica sobre as questões sociais que envolvem o “universo trans”. Dirigido pelo ator e dramaturgo Silvero Pereira, o espetáculo cênico-musical é um show inspirado na música homônima de Caetano Veloso e é separado em quatro blocos, com relatos de casos de assassinatos, preconceito, igualdade, amor e religião.
Teatro Dragão do Mar > Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia)



Dia 19 de outubro | Quarta-feira

16h – Lançamento do Livro BR-TRANS
Criado a partir de fragmentos de histórias reais coletadas em conversas com travestis, transexuais e transformistas, a peça BR-Trans apresenta os sonhos, os desejos, as vivências, as conquistas, além de relatos de exclusão e violência, presentes no cotidiano desta população de norte a sul do país. Fruto de um processo de pesquisa cênica realizado pelo ator e dramaturgo cearense Silvero Pereira, nas ruas e casas de show de Porto Alegre, unido às suas vivências pessoais no universo trans de Fortaleza, o monólogo entrelaça as vidas das personagens criadas a partir da investigação, compondo um retrato do que é ser transgênero no Brasil. O livro conta também com notas explicativas sobre o processo de criação e montagem do espetáculo, escritas pelo autor e pela diretora do espetáculo, Jezebel De Carli. A publicação traz ainda um prefácio do ativista e deputado federal Jean Wyllys e uma apresentação do escritor, roteirista e cineasta João Silvério Trevisan.

Será realizado um bate papo com o autor e em seguida uma tarde de autógrafos.
Em Frente o Teatro Dragão do Mar > Acesso gratuito


20h – Espetáculo "Três Travestis"
Em "Três Travestis", nova produção do coletivo As Travestidas, Gisele Almodóvar (Silvero Pereira), Mulher Barbada (Rodrigo Ferrera) e Betha Houston (George Hudson) cantam um repertório de 17 músicas, com sucessos nacionais e internacionais que falam sobre travestis e transexuais. A MPB de Gilberto Gil, Ney Matogrosso e Maria Bethânia e músicas selecionadas de Nina Simone e Anthony Johnson são entoadas pelo trio que, como já é de costume, fazem uma abordagem crítica sobre as questões sociais que envolvem o “universo trans”. Dirigido pelo ator e dramaturgo Silvero Pereira, o espetáculo cênico-musical é um show inspirado na música homônima de Caetano Veloso e é separado em quatro blocos, com relatos de casos de assassinatos, preconceito, igualdade, amor e religião.
Teatro Dragão do Mar > Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia)

Dias 18 e 19 de outubro de 2016, no Teatro Dragão do Mar. Ingressos para os espetáculos R$ 20 e R$ 10 (meia).

Contato: Silvero Pereira 98767.1578





► Conferência “Tá rindo de quê? Discurso, poder e ideologia no humor”

Iniciativa do grupo de estudos GEDIP/UFC, a conferência contará com a presença de professores convidados e alunos bolsistas de pesquisa na área. Com mediação da Profa Maria Eduarda Gonçalves (Uece), darão a palestra a Profa Dra. Lola Aronovich (UFC) e Profa Dra Claudiana Alencar (Uece). Diálogos com Felipe Matheus e Isadora Moura; Robson Nogueira e Vanessa Vanda.

Dia 18 de outubro de 2016, às 14h, no Auditório. Gratuito.

Contato: Maria Eduarda (99853-1499)






► Golpe de Vista #24
Ciclo mensal de conversas sobre fotografia traz um tema a cada edição e convidados do meio para palestras, além de oficinas gratuitas no sábado seguinte ao encontro.

Dia 19 de outubro de 2016, às 19h, no Auditório. Gratuito.

988363715 - oi | 998630499 – tim (Eden Barbosa)






► Novo Som [Temporada de Arte Cearense]
O programa Novo Som tem como objetivo mostrar a diversidade da cena musical cearense em apresentações gratuitas, destacando bandas novas, grupos contemporâneos e/ou novas formações originais, com até dois anos de produção musical. Neste mês de outubro, confira shows das bandas DistintoS e Sóbrios & Ébrios.

DistintoS
A banda DistintoS teve início em 2015, com músicos de vasta experiência. Tocando diversos ritmos, eles decidiram se juntar para dar início a um projeto próprio. Desde então, vêm trabalhando em um som diferenciado, trazendo ritmos dançantes, como o clima envolvente do soul, funk e blues. Destaca-se também por tratar de igualdades sociais, adicionando em suas letras outros idiomas além do português, como o inglês e o criolo. As letras retratam o cotidiano, histórias e romances com muito suingue e diversão. O grupo já participou de três festivais na cidade de Fortaleza e participação confirmada no próximo Ocupe o Coliseu, festival do bairro José Walter, patrocinado pela Prefeitura Municipal de Fortaleza.

Contato: Weykson (85) 9 8908.7089 e-mail: wfernandestst@ymail.com

+

Sóbrios&Ébrios – show “Todo sóbrio tem um pouco de ébrio ou vice-versa!”
É um grupo musical que tem por finalidade sintetizar, em um coletivo heterogêneo, os trabalhos individuais dos músicos Davi Silvino, Romulo Lopes e Samyr Cruz, somados ao talento de peso dos instrumentistas Marcola Oliveira e Tom Lacerda. Trata-se, portanto, de várias bandas em uma só, materializando sua identidade através da pluralidade do rock. Sempre focada em entreter o público por completo, a banda une clássicos do rock e releituras de músicas nacionais históricas e importantes ao sério trabalho autoral, sempre diversificando as canções com vocais variados, bastante dinamismo e, principalmente, com muita emoção e envolvimento. Quem curte rock'n'roll precisa conhecer a Sóbrios&Ébrios.

Contato: (85) 9 8855.5149 / 3034.1942 e-mail: samyrcruz@yahoo.com.br

Dia 21 de outubro de 2016, às 20h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Gratuito.




 V Bienal de Dança De Par Em Par
O diálogo com outras linguagens artísticas, a intensificação das atividades formativas, os intercâmbios artísticos, além de apresentações de obras cênicas em formatos e espaços alternativos. Estas são as ações que fazem o diferencial da Bienal Internacional de Dança do Ceará / De Par Em Par, evento concebido em 2008 como desdobramento das bienais dos anos ímpares.

De 21 a 30 de outubro, a V Bienal De Par Em Par traz ao Ceará artistas do Brasil, Canadá, França e Suíça para a programação que acontecerá em Fortaleza e se estenderá às cidades de Sobral, Juazeiro do Norte, Paracuru, Itapipoca e Trairi. Apresentada pela Petrobras, com o patrocínio do Governo do Estado do Ceará e da CAIXA e apoio da Enel, controladora da Coelce, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, a Bienal De Par em Par tem acesso gratuito a toda a programação.

FranceDanse Brasil 2016 na Bienal

Esse ano a Bienal De Par Em Par recebe o FranceDance que, depois de passar por 15 países da Europa, Ásia, Oceania e Estados Unidos, aportou em agosto no Brasil pela primeira vez, para percorrer em três meses  15 cidades, de norte a sul. O FranceDance foi criado em 2007 pelo Institut Français com o intuito de levar a todos os continentes, em encontros anuais, um recorte do que de melhor e mais recente tem sido criado na dança contemporânea francesa.

Em sua 16ª edição, a estreia do FranceDanse em solo brasileiro reúne uma extensa programação artística pensada em constantes diálogos, ao longo de dois anos, entre a rede de serviços culturais francesas no Brasil e mais de 30 parceiros, entre instituições, festivais, teatros e universidades, que se unem para criar um momento de visibilidade singular da dança contemporânea francesa em apresentações, seminários, conferências dançadas e outras atividades.

A programação do FranceDanse no Brasil acontece entrecruzada com a Bienal De Par Em Par e mais sete festivais, entre os quais, Cena Cumplicidades Festival (PE), Festival Contemporâneo de Dança (SP), Movimento Internacional de Dança de Brasília e Panorama Festival (RJ), e com as programações regulares de algumas instituições, como Aliança Francesa, em Fortaleza.

Das 16 companhias convidadas pelo FranceDanse para o circuito no Brasil, a Bienal De Par Em Par recebe trabalhos dos coreógrafos franceses renomados Christian Rizzo em Sakınan Göze Çöp Batar;Fabrice Ramalingom apresentando Conférence Dansé e Hyperterrestre; e talentos que começam a ser conhecidos no exterior e que exploram a simultaneidade de linguagens - como dança, artes visuais, performance, teatro, vídeo, cinema, música ao vivo: Samuel Lefeuvre e Raphaëlle Latini/Group Entorse, em Accidens (ce qui arrive); David Wampach, apresentando Sacre; Latifa Laâbissi, emEcran Somnambule. Além desses, o suíço Ioannis Mandafounis estará na Bienal De Par Em Par com o espetáculo Twisted Pair  e ministrando oficina de dança contemporânea na Vila das Artes.

ARTISTAS DE SETE ESTADOS EM CENA

Do Brasil, a Bienal De Par Em Par 2016 terá em cena artistas e companhias de dança do Ceará,Pernambuco, Bahia, Tocantins, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul. Entre as atrações, destaque para Lia Rodrigues Cia de Danças (RJ), que traz à Bienal o seu novo espetáculo, Para que o céu não caia, que estreou em maio deste ano em Dresden, na Alemanha, onde foi finalizado durante uma residência artística, e depois foi apresentado em Hamburgo, Potsdam, Berlim, Frankfurt e Düsseldorf, como parte do Projeto Brasil. O espetáculo também foi apresentado no Festival Montpellier Danse, na França, para onde retorna em novembro para uma temporada em Paris, seguindo para Grenoble e Toulouse. 

Do Rio Grande do Sul, o coreógrafo Airton Tomazzoni apresenta Guia improvável para corpos mutantes, espetáculo contemporâneo infanto-juvenil contemplado com o Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2015. Este projeto é uma forte referência na produção de dança para o público infanto-juvenil em Porto Alegre, por meio de uma pesquisa de linguagem que teve início em 2010 com a criação do espetáculo Faz de conta, dirigido por Tomazzoni para o Grupo Experimental de Dança de Porto Alegre. A partir dessa montagem, um núcleo de artistas passou a investir na investigação do universo infantil.

Outro destaque é Corpo Sobre Tela, espetáculo do dançarino e coreógrafo paulista Marcos Abranches. Motivado pela vida e obra do pintor irlandês Francis Bacon (1909-1992), Abranches uniu passos ensaiados a movimentos involuntários e tintas de diversas cores, criando a cada apresentação um novo espetáculo. O artista é portador de coreoatetose, um estado patológico que se manifesta a partir de movimentos involuntários, intermitentes e irregulares da face e dos membros. Esta ação faz parte daPlataforma de Acessibilidade que, além da apresentação de espetáculos em formato acessível com libras e audiodescrição, realizará o Seminário Dança e Acessibilidade, lançado em 2015 na Bienal de Dança. Essa ação conta com o apoio do Instituto Bela Vista. 

NORDESTE EM DESTAQUE

O Nordeste tem forte presença nesta edição da Bienal De Par Em Par, em especial, Pernambuco, estado de quatro grandes nomes da dança popular e contemporânea. Começa com Antônio Nóbrega, que no dia 21, na abertura da Bienal, estará às 21 horas no Cineteatro São Luiz para apresentar Com Passo Sincopado, onde expõe seu pensamento sobre uma dança brasileira contemporânea sistematizada a partir do encontro de matrizes corporais populares.

No dia seguinte, Jorge Garcia Companhia de Dança - residente em São Paulo e dirigida pelo pernambucano Jorge Garcia - sobe ao palco do Teatro do Centro Dragão do Mar com o espetáculoCantinho de Nóis, inspirado em cantos e contos populares brasileiros. Outro grande representante da dança pernambucana, Helder Vasconcelos, apresenta no dia 25, às 21h, no Teatro do Dragão do Mar,Eu Sou, um espetáculo que completa uma trilogia de solos criada pelo artista, composta também porEspiral Brinquedo Meu (2004, teatro) e Por Si Só (2007, dança). Eu Sou marca o retorno do artista ao circuito musical, mas em diálogo com as artes cênicas.

E fechando esta edição, a Bienal recebe no dia 30, às 21h, no Teatro do Dragão do  Mar, Ângelo Madureira com o espetáculo Delírio, dirigido por Ana Catarina Vieira. Neste trabalho, criado em 1999, o bailarino e coreógrafo pernambucano substituiu a música do frevo pelo som do rock progressivo. Da pergunta "Se tirar a música do frevo, o que se dança?" surgiu esta obra lúdica, com características fortes da maneira de representar a dança popular em cena. Ângelo Madureira representa a segunda geração dos criadores do Balé Popular do Recife, de onde surgiram artisticamente nomes como Helder Vasconcelos e Antônio Nóbrega.

A Bahia vem representada pelo coreógrafo e performer Leonardo França, do coletivo Dimenti, que apresenta o espetáculo Ouriço no Teatro do Sesc Iracema, no dia 29 de outubro, às 19 horas. No dia seguinte, às 17h, estará no Teatro Boca Rica em uma Conversa Dançada, ao lado da pesquisadora, professora e artista da dança, Thereza Rocha, que lança o livro “O que é dança contemporânea”.

CENA CEARENSE

A produção cearense se faz presente na Bienal De Par Em Par com trabalhos de 28 artistas e companhias de dança e teatro, como Cia Dita (direção de Fauller), Silvia Moura, Cia Balé Baião(direção de Gerson Moreno), Leandro Netto Cia de DançaTeatro MáquinaJoão Paulo Lima,Arreios Companhia de Dança Contemporânea e os alunos do Curso Técnico em Dança do Porto Iracema das Artes.

Duas produções cearenses estão nos Percursos de Criação, projeto iniciado em 2015 pela Bienal para arealização de produções artísticas, envolvendo, a cada edição, dois  renomados coreógrafos convidados e duas atuantes companhias de dança sediadas no interior cearense.

Uma delas é a Paracuru Cia de Dança, que em 2015 trabalhou com Airton Rodrigues (PR) e agora tem a parceria do coreógrafo Jorge Garcia, que tem trabalhos realizados para importantes companhias brasileiras, como o  Balé da Cidade de São Paulo, Palácio das Artes e São Paulo Companhia de Dança. Juntos trabalham a coreografia Praia das Almas. Também como parte dos Percursos de Criação, o cearense Fauller, da Cia Dita, juntou-se à Alysson Amancio Cia de Dança, uma das principais companhias do Ceará, sediada em Juazeiro do Norte, para criar Manga com Leite.

ABERTURA EM FORTALEZA e SOBRAL

No dia 21, a programação artística da Bienal De Par Em Par é aberta simultaneamente em Fortaleza e Sobral. Enquanto Antônio Nóbrega se apresenta às 21 horas, em Fortaleza, no Cineteatro São Luiz, em Sobral, a bailarina e coreógrafa cearense Silvia Moura sobe ao palco do Theatro São João comInstalaformance 3 - Tangendo Sonhos.

Em Fortaleza, a noite de abertura terá ainda o coreógrafo Luís Ferron, de São Paulo, às 23h no Espaço Mix do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Ele apresenta Discoteque, uma "festa-performática" resultado da residência que conduz na Vila das Arte.

A partir do segundo dia, em Fortaleza, a programação noturna termina com as Fringes, em  frente ao Planetário do Dragão do Mar, com espetáculos musicais. Nas edições anteriores, já passaram pelas Fringes nomes como Fausto Nilo, Eliane a rainha do forró, Beto Barbosa, Dona Onete, Don L e Daniel Peixoto. As atrações desta edição ainda serão anunciadas.

BIENAL EM SOBRAL - CIDADE DAS ARTES

Esta edição é comemorativa em Sobral, que festeja 20 anos da presença da Bienal de Dança na cidade e acontece este ano integrada ao projeto Sobral Cidade das Artes. Serão seis dias de programação. De 21 a 23 e de 28 a 30, ocupando, nos três primeiros dias, o Theatro São João e, nos três últimos, a ECOA, marcando a reabertura do teatro.

Em Sobral também acontecem dois Trajetos de Criação, que são intercâmbios, de experimentação e de criação, tendo à frente dois dos mais conceituados grupos de artes cênicas do Ceará, Teatro Máquina e Grupo Bagaceira de Teatro.

BIENAL EM POLOS DA DANÇA NO INTERIOR

Juazeiro do Norte, Paracuru, Itapipoca e Trairi, quatro importantes polos da dança no Ceará, também recebem programação artística da Bienal De Par Em Par. Em Juazeiro do Norte, a abertura será no dia 27 com Gaudério, trabalho do bailarino gaúcho Matheus Brusa, que tem se destacado com premiações no Festival de Joinville. No dia 28 ele abre com este espetáculo a programação emParacuru. Também no dia 28 a programação começa em Itapipoca, com a Companhia Municipal de Dança de Porto Alegre apresentando Adágio e Salão Grená, que no dia 29 sobe ao palco em Paracuru. Em Trairi começa também no dia 28, com Inquieta CiaArreios Cia de Dança Contemporânea eCanaan Cia de Dança. Serão três dias de programação em Itapipoca e dois dias nas demais cidades.

AÇÕES FORMATIVAS nos Trajetos EnCena

A realização de ações compartilhadas de formação, de colaborações entre instituições e de intercâmbios artísticos é uma constante na história da Bienal e a promoção da inclusão profissional também vem tornando-se um aspecto cada vez mais presente nas propostas pedagógicas das várias instâncias que promovem ações formativas em arte e cultura. Atentas a essa questão, Bienal e instituições parceirasrealizam os Trajetos EnCena. Esta é uma ação a um só tempo artística e formativa que se mobiliza a partir da possibilidade de contribuir para o acesso de jovens e adolescentes aos saberes e­ fazeres da cena teatral.

Os Trajetos EnCena - que neste ano repetem a parceria com o Centro Cultural Bom Jardim (CCBJ) - materializam-se por meio de ateliês e da montagem de trabalhos cênicos envolvendo jovens e adolescentes de bairros periféricos de Fortaleza. Para coordenar essas montagens, cujos resultados serão apresentados na Bienal De Par Em Par, foram convidados os coreógrafos: Edvan Monteiro, que apresenta Escarcéu no dia 22, às 19h, no CCBJ, e no dia 23, no Espaço Rogaciano Leite Filho (CDMAC), ambos às 19h; Andrea Bardawil, que apresenta seu trabalho no dia 25,  às 19h no CCBJ. A parte técnica das obras criadas é resultante das residências ministrados por Yuri Yamamoto(Cenotécnica), Gil Braga (Figurino), Walter Façanha (Iluminação Cênica). 

Residências - Outras duas residências são realizadas nesta edição da Bienal De Par Em Par. O N Infinito, em comemoração ao aniversário de 13 anos do grupo,  trabalha a criação do espetáculo Alices, que será apresentado no dia 29, às 17h, na Cena 15. E o paulista Luis Ferron ministra a residênciaDiscoteque, cujo resultado será apresentado na noite de abertura, às 23h, no Espaço Mix do Dragão do Mar.

SEMINÁRIO Aller-Retour  - Danse Brésil-France

Produzido dentro do FranceDanse Brasil 2016, acontece o Seminário Aller-Retour  - Danse Brésil-France (IDA-E- VOLTA: Dança Brasil-França), como um encontro entre histórias e culturas da dança - centralizações e descentralizações, influências e consolidação, migrações e transposições. Trata-se de um inédito e original formato de encontro entre 13 pesquisadores de 11 universidades brasileiras e francesas para um trabalho de imersão, pesquisa, debate e difusão de conceitos e perspectivas em história, crítica e teoria em arte. 
Serão quatro dias de atividades, 21 a 24, com palestras de Cássia Navas (São Paulo, UNICAMP) eIsabelle Launay (Paris, Université Paris 8) - ambas diretoras e curadoras do seminário - e Geisha Fontaine (Paris & Saint-Denis, Université Paris V & Université de Lille), que no dia 24 participam de uma mesa-redonda com os pesquisadores Henrique Rochelle (São Paulo, UNICAMP), Leonel Brum e Rosa Primo (Fortaleza Ceará, UFC). As palestras, abertas ao público, acontecerão às 15h, no auditório do Centro Dragão do Mar. Pela manhã, os pesquisadores vão estar em reuniões fechadas, estudando a dança e a relação de parceria entre as universidades brasileiras e francesas. "É quase uma cooperação entre as universidades, que é o grande motivo desse seminário", diz David Linhares, diretor da Bienal de Dança. 
O Seminário é produzido pelo Teatro Sérgio Cardoso (SP), Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, APAA-Associação Paulista dos Amigos da Arte, e pela Bienal Internacional de Dança do Ceará / De Par Em Par, com o apoio da Universidade Federal do Ceará (UFC). 
Neste programa, onde o “ida-e-volta” de informações se faz entre “pesquisadores que ensinam”, abrem-se nas duas cidades (São Paulo e Fortaleza) reflexões para artistas, professores, alunos e plateias da dança, em ações para todos. Este trabalho resultará em um e-book bilíngue (português e francês) e em parcerias institucionais entre as universidades.


SERVIÇO
Bienal Internacional de Dança do Ceará de Par em Par - De 21 a 30 de outubro e 2016 em Fortaleza,Sobral, Juazeiro do Norte, Paracuru, Itapipoca e Trairi. Informações: www.bienaldedanca.com. Infos:bienal@bienaldedanca.com e (85)3268-3034. Toda a programação tem acesso GRATUITO.

Assessoria de Imprensa: Dégagé Jornalistas Resp: Sônia Lage e Eugênia Nogueira
Tel: (85)3252-5401 / 99989-5876 / 99989-3913


► Dub no Dragão – Reggae em Pauta
Com Oficina de Iniciação à Discotecagem

Braço de formação do projeto Dub no Dragão, o Reggae em Pauta oferta ao público oficina de iniciação à discotecagem, nesta edição, com facilitação de Cristiano Silva, o DJ Doido. Silva é DJ há 18 anos no grupo de rap Comunidade da Rima e um dos fundadores do Movimento Cultura de Rua e da Central Única das Favelas (CUFA). Trabalha com produção musical e de show.
Há 15 anos, vem sendo educador na área de música da CUFA, CEPEMA e do MCR, vem formando jovens na área de produção musical e de shows através de oficinas de DJ em Fortaleza e no Brasil.
Dia 21 de outubro de 2016, às 15h, no Auditório do Porto Iracema das Artes. Acesso gratuito. Número de vagas: 20. Classificação etária: 16 anos.


► Pôr do Som – Música de Câmara no Dragão

Todos os sábados, grupos de instrumentistas destacados da Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual do Ceará (Osuece) fazem belas apresentações gratuitas ao pôr do sol, na Arena Dragão do Mar. A cada edição, uma formação diferente surpreende o público. Confira a programação do dia 22/10:

Por Um Trio – Hermano Faltz (guitarrista), Iury Batista (baixista) e André Benedecti (baterista) vêm ao longo de três anos participando das principais atividades da música instrumental na cidade de Fortaleza e estado do Ceará. Seja no mesmo trabalho ou separados, os jovens músicos se destacam por onde passam. O domínio do instrumento, a desenvoltura na improvisação e a criatividade marcam a personalidade de cada um.

Depois de algumas experiências tocando em cafés e bares com a formação trio, decidiram começar o próprio trabalho. Eles se reuniram para desenvolver um repertório baseado nos artistas que pertencem ao gosto comum aos três e logo em seguida começaram a trabalhar as músicas próprias.

As composições têm influência da sofisticação harmônica e melódica do jazz e da música brasileira, mas sem se enquadrar em um estilo específico. As diretrizes vêm das diversas influências de cada integrante, sejam provenientes do jazz, rock, bossa nova ou sambajazz.

Vale destacar alguns artistas com quem cada um trabalhou ou tocou ao lado: Jorge Helder, Claudio Nucci, Rodger Rogério, David Duarte, Marcus Caffé, Márcio Resende, Adam Faulk, Itiberê Zwarg, Arismar do Espírito Santo, Carlinhos Patriolino, Macaúca do Bandolim, Paula Tesser, Lorena Nunes, Marcos Lessa, Nayra Costa, Kaya no Choro.

Dia 22 de outubro de 2016, às 17h, na Arena Dragão do Mar. Acesso gratuito.

Contato: Tauí Castro 98526.6604 (koisaetaoproducoes@gmail.com)



► Brincando e Pintando no Dragão do Mar + Domingo no Circo [Temporada de Arte Cearense], com o espetáculo “Suspiros & Burbujas”
Cia Laguz Circo
A programação infantil especial do Dragão das Crianças segue nos dias 16, 23 e 30 de outubro, na Praça Verde. Nessas datas, das 16h às 19h, a criançada vai poder curtir o “Brincando e Pintando no Dragão”, temperado pelo divertido espetáculo “Suspiros & Burbujas”, da Cia. Laguz Circo, às 17h. Mais uma atração da nossa Temporada de Arte Cearense, o espetáculo cria uma atmosfera mágica, um encontro espontâneo do público que se aproxima pelo encantamento do palhaço, da palhaça, das bolhas gigantes e da singela música feita pelo acordeon, escaleta e buzinas.

Dia 23 de outubro de 2016, das 16h às 19h, na Praça Verde. Gratuito.

Contato: Felipe Abreu (85) 99973.9981 e-mail: abreuclown@gmail.com



► Entre Performances [Temporada de Arte Cearense]
CartografictiONs_Descalços Pelo Caos
David da Paz
Estuda Análise e Desenvolvimento de Sistemas na UNIFOR, artista híbrido e educador, já desenvolveu intervenções-obras-experiências artísticas e educativas em seus projetos pelo Brasil, Espanha e Reino Unido.
Com ação inovadora no campo da arte urbana, de intervenção, performance e das novas tecnologias, David da Paz propõe ao público percursos criativos com tours mediados, ou não, por cidades reais e imaginárias.

Dias 23 e 30 de outubro de 2016, às 17h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

Contato: David Paz (85) 9 8865.2115 e-mail: escoladebensimateriais@gmail.com




► Quarteto Cearense [Circuito de Música Erudita]
O Quarteto é um dos grupos da Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho e apresentará repertório que vai do barroco ao contemporâneo.

Dia 23 de outubro de 2016, às 18h, no Auditório. Gratuito.

Contato: Humberto (8734-5643 / quartetocearense@gmail.com)



► Recital e Feira Cordel com a Corda Toda
A tradicional Literatura de Cordel, que hoje está sendo reconhecida pelo IPHAN como patrimônio imaterial, sempre esteve onde o povo está. No chão da feira livre, se fez eco na voz de seus poetas e folheteiros, despertando a curiosidade e prendendo a atenção dos transeuntes. Nos lares nordestinos, emocionou, fez sonhar, chorar e rir a milhares de pessoas e ainda contribuiu largamente com a educação.

Há mais de dois anos, o Projeto Cordel com a Corda Toda canta e encanta no Centro Dragão do Mar. Projeto criado pelo cordelista e ilustrador Klévisson Viana, com a realização da AESTROFE – Associação de Escritores Trovadores e Folheteiros do Estado do Ceará em parceria com o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, já apresentou muitos dos melhores poetas cordelistas, declamadores, cantadores repentistas e músicos tradicionais daqui e de muitos outros estados.

Dia 23 de outubro de 2016, às 19h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Gratuito.

Contato: Klevisson Viana (3217-2891 | 9675-1099 | 8515-8028 / aestrofe@gmail.com) /


// TODA SEMANA NO DRAGÃO

► Feira Dragão Arte
Feira de artesanato fruto da parceria com Sebrae-CE e Siara-CE.
De sexta a domingo, das 17h às 22h, ao lado do Espelho D'Água. Acesso gratuito.

► Planeta Hip Hop
Grupos promovem exibições de dança e música hip hop.
Todos os sábados, às 19h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

► Pôr do Som – Música de Câmara no Dragão
A cada sábado, um grupo destacado da Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual do Ceará (Osuece) apresenta-se no Dragão do Mar.
Todos os sábados, às 17h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

► Fuxico no Dragão
Atrações artísticas e uma feirinha com vinte expositores de produtos criativos em design, moda e gastronomia agitam as tardes de domingo.
Todos os domingos, das 16h às 20h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

► Brincando e Pintando no Dragão do Mar [EDIÇÃO ESPECIAL DRAGÃO DAS CRIANÇAS] Ver acima
Brincadeiras e atividades infantis orientadas por monitores animam a criançada na Praça Verde.
Todos os domingos, das 16h às 20h, na Praça Verde. Gratuito.




// PLANETÁRIO RUBENS DE AZEVEDO

Planetário Rubens de Azevedo é um espaço de entretenimento e formação pedagógica através de caráter transdisciplinar em Astronomia.

Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia).

Sessões às sextas-feiras, aos sábados e domingos:

O ABC do Sistema Solar, sempre às 18h
Três crianças estão observando as estrelas quando percebem uma "estrela cadente" e logo uma delas faz um pedido: o desejo de fazer uma viagem até a Lua. De repente, as crianças são teletransportadas para uma nave espacial chamada "Observador". Após superar o medo inicial, elas fazem uma rica viagem pelo Sistema Solar visitando os planetas. Durante a viagem, elas são teletransportadas para Marte e também Vênus, e passam por dentro dos anéis de Saturno. No final, fazem uma perigosa aproximação do Sol.

Nos Limites do Oceano Cósmico, sempre às 19h
Usando o poder da nossa imaginação, viajaremos pelo espaço a uma velocidade próxima a da luz até o limite do universo visível, e com a ajuda do planetário, veremos de perto a nossa galáxia e grupos de galáxias muito distantes de nós. Será que o universo tem fim? O que vemos no céu é uma ilusão? Você verá que o universo está em expansão e novas estrelas estão surgindo a todo instante.



//// EXPOSIÇÕES EM CARTAZ


// MUSEU DA CULTURA CEARENSE

► Exposição "Miolo de Pote: a cerâmica cearense primitiva e atual" [Salas 3 e 4]


Reunindo uma série de peças feitas de barro, a mostra apresenta o dinamismo e vivacidade desta arte ancestral e milenar, no Ceará, além de trazer ainda a contribuição de artistas plásticos e visuais como Bosco Lisboa, Gentil Barreira e Tiago Santana.

Comentários