No Dragão

Programação cultural de 24 a 30 de outubro Dragão do Mar



FUNCIONAMENTO DO DRAGÃO DO MAR

// Geral: de segunda a quinta, das 8h às 22h; e de sexta a domingo e feriados, das 8h às 23h.
// Bilheterias: de terça a domingo, das 14h às 20h.
// Cinema do Dragão-Fundação Joaquim Nabuco: às segundas-feiras, às 19h; e de terça a domingo, das 14h às 22h.
// Museus: terça a sexta, das 9h às 19h (acesso até as 18h30); sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Gratuito.
// Multigaleria: terça a domingo, das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Gratuito.

// Atenção: às segundas-feiras, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura não abre cafés, museus, Multigaleria e bilheterias.

Acompanhe nossa programação também pelas redes sociais:
Facebook: Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura
Instagram: @dragaodomar
Twitter: @_dragaodomar



 V Bienal de Dança De Par Em Par
O diálogo com outras linguagens artísticas, a intensificação das atividades formativas, os intercâmbios artísticos, além de apresentações de obras cênicas em formatos e espaços alternativos. Estas são as ações que fazem o diferencial da Bienal Internacional de Dança do Ceará / De Par Em Par, evento concebido em 2008 como desdobramento das bienais dos anos ímpares.

De 21 a 30 de outubro, a V Bienal De Par Em Par traz ao Ceará artistas do Brasil, Canadá, França e Suíça para a programação que acontecerá em Fortaleza e se estenderá às cidades de Sobral, Juazeiro do Norte, Paracuru, Itapipoca e Trairi. Apresentada pela Petrobras, com o patrocínio do Governo do Estado do Ceará e da CAIXA e apoio da Enel, controladora da Coelce, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, a Bienal De Par Em Par tem acesso gratuito a toda a programação.

BIENAL EM SOBRAL - CIDADE DAS ARTES

Esta edição é comemorativa em Sobral, que festeja 20 anos da presença da Bienal de Dança na cidade e acontece este ano integrada ao projeto Sobral Cidade das Artes. Serão seis dias de programação. De 21 a 23 e de 28 a 30, ocupando, nos três primeiros dias, o Theatro São João e, nos três últimos, a ECOA, marcando a reabertura do teatro.

BIENAL EM POLOS DA DANÇA NO INTERIOR

Juazeiro do Norte, Paracuru, Itapipoca e Trairi, quatro importantes polos da dança no Ceará, também recebem programação artística da Bienal De Par Em Par. Em Juazeiro do Norte a abertura será no dia 27 com Gaudério, trabalho do bailarino gaúcho Matheus Brusa, que tem se destacado com premiações no Festival de Joinville. No dia 28 ele abre com este espetáculo a programação em Paracuru, onde além do espetáculo ministra a oficina "Gaudério, uma atualização e ressignificação da dança folclórica gaúcha, Clula". No dia 28 a programação começa também em Itapipoca, exibindo o vídeo-dança Sertanias do Gesto, da Cia Balé Baião e Advento Audiovisual, e a Cia de Dança Ciclos, com Desaparecidos. Em Trairi quem abre a Bienal no dia 28 é a Arreios Cia de Dança Contemporânea apresentando Encarnado e Esculpido. Serão três dias de programação em Itapipoca e dois dias em Juazeiro do Norte, Paracuru e Trairi.

FranceDanse Brasil 2016 na Bienal

Esse ano a Bienal De Par Em Par recebe o FranceDance que, depois de passar por 15 países da Europa, Ásia, Oceania e Estados Unidos, aportou em agosto no Brasil pela primeira vez, para percorrer em três meses  15 cidades, de norte a sul. O FranceDance foi criado em 2007 pelo Institut Français com o intuito de levar a todos os continentes, em encontros anuais, um recorte do que de melhor e mais recente tem sido criado na dança contemporânea francesa.

Em sua 16ª edição, a estreia do FranceDanse em solo brasileiro reúne uma extensa programação artística pensada em constantes diálogos, ao longo de dois anos, entre a rede de serviços culturais francesas no Brasil e mais de 30 parceiros, entre instituições, festivais, teatros e universidades, que se unem para criar um momento de visibilidade singular da dança contemporânea francesa em apresentações, seminários, conferências dançadas e outras atividades.

A programação do FranceDanse no Brasil acontece entrecruzada com a Bienal De Par Em Par e mais sete festivais, entre os quais, Cena Cumplicidades Festival (PE), Festival Contemporâneo de Dança (SP), Movimento Internacional de Dança de Brasília e Panorama Festival (RJ), e com as programações regulares de algumas instituições, como Aliança Francesa, em Fortaleza.

Das 16 companhias convidadas pelo FranceDanse para o circuito no Brasil, a Bienal De Par Em Par recebe trabalhos dos coreógrafos franceses renomados Christian Rizzo em Sakınan Göze Çöp Batar; Fabrice Ramalingom apresentando Conférence Dansé e Hyperterrestre; e talentos que começam a ser conhecidos no exterior e que exploram a simultaneidade de linguagens - como dança, artes visuais, performance, teatro, vídeo, cinema, música ao vivo: Samuel Lefeuvre e Raphaëlle Latini/Group Entorse, em Accidens (ce qui arrive); David Wampach, apresentando Sacre; e Latifa Laâbissi, em Ecran Somnambule. Além desses, o suíço Ioannis Mandafounis estará na Bienal De Par Em Par com o espetáculo Twisted Pair  e ministrando oficina de dança contemporânea na Vila das Artes.

ARTISTAS DE SETE ESTADOS EM CENA

Do Brasil, a Bienal De Par Em Par 2016 terá em cena artistas e companhias de dança do Ceará, Pernambuco, Bahia, Tocantins, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul. Entre as atrações, destaque para Lia Rodrigues Cia de Danças (RJ), que traz à Bienal o seu novo espetáculo, Para que o céu não caia, que estreou em maio deste ano em Dresden, na Alemanha, onde foi finalizado durante uma residência artística, e depois foi apresentado em Hamburgo, Potsdam, Berlim, Frankfurt e Düsseldorf, como parte do Projeto Brasil. O espetáculo também foi apresentado no Festival Montpellier Danse, na França, para onde retorna em novembro para uma temporada em Paris, seguindo para Grenoble e Toulouse. 

Do Rio Grande do Sul, o coreógrafo Airton Tomazzoni apresenta Guia improvável para corpos mutantes, espetáculo contemporâneo infanto-juvenil contemplado com o Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2015. Este projeto é uma forte referência na produção de dança para o público infanto-juvenil em Porto Alegre, por meio de uma pesquisa de linguagem que teve início em 2010 com a criação do espetáculo Faz de conta, dirigido por Tomazzoni para o Grupo Experimental de Dança de Porto Alegre. A partir dessa montagem, um núcleo de artistas passou a investir na investigação do universo infantil.

Outro destaque é Corpo Sobre Tela, espetáculo do dançarino e coreógrafo paulista Marcos Abranches. Motivado pela vida e obra do pintor irlandês Francis Bacon (1909-1992), Abranches uniu passos ensaiados a movimentos involuntários e tintas de diversas cores, criando a cada apresentação um novo espetáculo. O artista é portador de coreoatetose, um estado patológico que se manifesta a partir de movimentos involuntários, intermitentes e irregulares da face e dos membros. Esta ação faz parte da Plataforma de Acessibilidade que, além da apresentação de espetáculos em formato acessível com libras e audiodescrição, realizará o Seminário Dança e Acessibilidade, lançado em 2015 na Bienal de Dança. Essa ação conta com o apoio do Instituto Bela Vista.

NORDESTE EM DESTAQUE

O Nordeste tem forte presença nesta edição da Bienal De Par Em Par, em especial, Pernambuco, estado de quatro grandes nomes da dança popular e contemporânea. Começa com Antônio Nóbrega, no dia 21, apresentando Com Passo Sincopado. 

No dia seguinte, Jorge Garcia Companhia de Dança - residente em São Paulo e dirigida pelo pernambucano Jorge Garcia - sobe ao palco do Teatro do Centro Dragão do Mar com o espetáculo Cantinho de Nóis, inspirado em cantos e contos populares brasileiros. Outro grande representante da dança pernambucana, Helder Vasconcelos, apresenta no dia 25, às 21h, no Teatro do Dragão do Mar, Eu Sou, um espetáculo que completa uma trilogia de solos criada pelo artista, composta também por Espiral Brinquedo Meu (2004, teatro) e Por Si Só (2007, dança). Eu Sou marca o retorno do artista ao circuito musical, mas em diálogo com as artes cênicas.

E fechando esta edição, a Bienal recebe no dia 30, às 21h, no Teatro do Dragão do  Mar, Ângelo Madureira com o espetáculo Delírio, dirigido por Ana Catarina Vieira. Neste trabalho, criado em 1999, o bailarino e coreógrafo pernambucano substituiu a música do frevo pelo som do rock progressivo. Da pergunta "Se tirar a música do frevo, o que se dança?" surgiu esta obra lúdica, com características fortes da maneira de representar a dança popular em cena. Ângelo Madureira representa a segunda geração dos criadores do Balé Popular do Recife, de onde surgiram artisticamente nomes como Helder Vasconcelos e Antônio Nóbrega.

A Bahia vem representada pelo coreógrafo e performer Leonardo França, do coletivo Dimenti, que apresenta o espetáculo Ouriço no Teatro do Sesc Iracema, no dia 29 de outubro, às 19 horas. No dia seguinte, às 17h, estará no Teatro Boca Rica em uma Conversa Dançada, ao lado da pesquisadora, professora e artista da dança, Thereza Rocha, que lança o livro “O que é dança contemporânea”.

CENA CEARENSE

A produção cearense se faz presente na Bienal De Par Em Par com trabalhos de 28 artistas e companhias de dança e teatro, como Cia Dita (direção de Fauller), Silvia Moura, Cia Balé Baião (direção de Gerson Moreno), Leandro Netto Cia de Dança, Teatro Máquina, João Paulo Lima, Arreios Companhia de Dança Contemporânea e os alunos do Curso Técnico em Dança do Porto Iracema das Artes.

Duas produções cearenses estão nos Percursos de Criação, projeto iniciado em 2015 pela Bienal para a realização de produções artísticas, envolvendo, a cada edição, dois  renomados coreógrafos convidados e duas atuantes companhias de dança sediadas no interior cearense.

Uma delas é a Paracuru Cia de Dança, que em 2015 trabalhou com Airton Rodrigues (PR) e agora tem a parceria do coreógrafo Jorge Garcia, que tem trabalhos realizados para importantes companhias brasileiras, como o  Balé da Cidade de São Paulo, Palácio das Artes e São Paulo Companhia de Dança. Juntos trabalham a coreografia Praia das Almas, em apresentação  no dia 22, às 18h, no Teatro do Dragão do Mar, em Fortaleza, no dia 27, às 21h, na Ecoa, em Sobral, e no dia 29, às 21h, na Praça da Matriz, em Paracuru.

Também como parte dos Percursos de Criação, o cearense Fauller, da Cia Dita, juntou-se à Alysson Amancio Cia de Dança, uma das principais companhias do Ceará, sediada em Juazeiro do Norte, para criar Manga com Leite, que em Fortaleza será apresentado no dia 24, às 21h, no Teatro Dragão do Mar, e em Juazeiro do Norte no dia 28, às 19h, no CCBNB

AÇÕES FORMATIVAS nos Trajetos EnCena

A realização de ações compartilhadas de formação, de colaborações entre instituições e de intercâmbios artísticos é uma constante na história da Bienal e a promoção da inclusão profissional também vem tornando-se um aspecto cada vez mais presente nas propostas pedagógicas das várias instâncias que promovem ações formativas em arte e cultura. Atentas a essa questão, Bienal e instituições parceiras realizam os Trajetos EnCena. Esta é uma ação a um só tempo artística e formativa que se mobiliza a partir da possibilidade de contribuir para o acesso de jovens e adolescentes aos saberes e¬ fazeres da cena teatral.

Os Trajetos EnCena - que neste ano repetem a parceria com o Centro Cultural Bom Jardim (CCBJ) - materializam-se por meio de ateliês e da montagem de trabalhos cênicos envolvendo jovens e adolescentes de bairros periféricos de Fortaleza. Para coordenar essas montagens, cujos resultados serão apresentados na Bienal De Par Em Par, foram convidados os coreógrafos: Edvan Monteiro, que apresenta Escarcéu no dia 22, às 19h, no CCBJ, e no dia 23, às 20h, no Espaço Rogaciano Leite Filho (CDMAC); e Andrea Bardawil, que no dia 25 apresenta A Coragem se faz é no Corpo, às 19h no CCBJ. A parte técnica das obras criadas é resultante das residências ministrados por Yuri Yamamoto (Cenotécnica), Gil Braga (Figurino), Walter Façanha (Iluminação Cênica). 

Residências - Outras duas residências são realizadas nesta edição da Bienal De Par Em Par. O N Infinito, em comemoração ao aniversário de 13 anos do grupo,  trabalha a criação do espetáculo Alices, que será apresentado no dia 29, às 17h, na Cena 15. E o paulista Luis Ferron ministra a residência Discoteque, cujo resultado será apresentado na noite de abertura, às 23h, no Espaço Mix do Dragão do Mar.

SEMINÁRIO Aller-Retour  - Danse Brésil-France

Produzido dentro do FranceDanse Brasil 2016, acontece o Seminário Aller-Retour  - Danse Brésil-France (IDA-E- VOLTA: Dança Brasil-França), como um encontro entre histórias e culturas da dança - centralizações e descentralizações, influências e consolidação, migrações e transposições. Trata-se de um inédito e original formato de encontro entre 13 pesquisadores de 11 universidades brasileiras e francesas para um trabalho de imersão, pesquisa, debate e difusão de conceitos e perspectivas em história, crítica e teoria em arte. 

Serão quatro dias de atividades, 21 a 24, com palestras de Cássia Navas (São Paulo, UNICAMP) e Isabelle Launay (Paris, Université Paris 8) - ambas diretoras e curadoras do seminário - e Geisha Fontaine (Paris & Saint-Denis, Université Paris V & Université de Lille), que no dia 24 participam de uma mesa-redonda com os pesquisadores Henrique Rochelle (São Paulo, UNICAMP), Leonel Brum e Rosa Primo (Fortaleza Ceará, UFC). As palestras, abertas ao público, acontecerão às 15h, no auditório do Centro Dragão do Mar. Pela manhã, os pesquisadores vão estar em reuniões fechadas, estudando a dança e a relação de parceria entre as universidades brasileiras e francesas. "É quase uma cooperação entre as universidades, que é o grande motivo desse seminário", diz David Linhares, diretor da Bienal de Dança.

O Seminário é produzido pelo Teatro Sérgio Cardoso (SP), Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, APAA-Associação Paulista dos Amigos da Arte, e pela Bienal Internacional de Dança do Ceará / De Par Em Par, com o apoio da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Neste programa, onde o “ida-e-volta” de informações se faz entre “pesquisadores que ensinam”, abrem-se nas duas cidades (São Paulo e Fortaleza) reflexões para artistas, professores, alunos e plateias da dança, em ações para todos. Este trabalho resultará em um e-book bilíngue (português e francês) e em parcerias institucionais entre as universidades.

TRANSARTE

Ainda como parte da programação da Bienal De Par Em Par acontece o TransARTE -  Encontro com Programadores de Festivais - Conferência com Catherine Faudry (França). É um encontro fechado somente para convidados, que acontecerá no domingo às 13h, no auditório do Dragão do Mar, com uma conferência de Catherine Faudry (França). O TransARTE é um programa transversal do Institut Français que tem por objetivo favorecer a circulação de propostas de criações cênicas que investem na interdisciplinaridade e em formas artísticas híbridas. a Bienal, em parceria com o TransARTE, organiza este encontro com a finalidade de divulgar as propostas desse programa, bem como familiarizar os convidados com a produção coreográfica local.


SERVIÇO
Bienal Internacional de Dança do Ceará de Par em Par – De 24 a 30 de outubro e 2016 em Fortaleza, Sobral, Juazeiro do Norte, Paracuru, Itapipoca e Trairi. Informações: www.bienaldedanca.com. Infos: bienal@bienaldedanca.com e (85)3268-3034. Toda a programação tem acesso GRATUITO.

Assessoria de Imprensa: Dégagé Jornalistas Resp: Sônia Lage e Eugênia Nogueira
Tel: (85)3252-5401 / 99989-5876 / 99989-3913




► VI Reunião Anual da Rede Braspor

A Rede Braspor, juntamente com a Universidade Estadual do Ceará, a Universidade Estadual Vale do Acaraú e a Universidade Federal do Ceará (através do Instituto de Ciências do Mar-LABOMAR), realizará a VI Reunião Anual da Rede Braspor, de 24 a 27 de outubro de 2016, em Fortaleza.

A Reunião da Braspor é um evento científico que reúne pesquisadores brasileiros e portugueses. O evento contará com palestras que propõem uma discussão integrada dos impactos antrópicos no litoral, a importância da gestão costeira participativa e as ações governamentais, individuais e coletivas de proteção e adaptação dos litorais frente às mudanças climáticas.

Também ocorrerão mesas redondas com discussões temáticas, objetivando um debate crítico sobre as perspectivas e os desafios da história ambiental do litoral, do turismo como atividade econômica e social, da vulnerabilidade ambiental das costas brasileiras e portuguesas e da interação Homem-Meio nas zonas costeiras e bacias hidrográficas. Por fim, serão realizadas comunicações orais e pôsteres.

O evento, que este ano tem o tema "O Homem e o Litoral: Transformações na Paisagem ao Longo do Tempo", propõe uma reflexão sobre as transformações que o litoral vem sofrendo e suas repercussões na sociedade, sendo objeto de estudo das mais diferentes áreas do saber.

De 24 a 27 de outubro de 2016, no Auditório e Espaço Mix, a partir das 9h. Programação e inscrições: http://braspor.wixsite.com/2016/inicio.

Contato: Davis P. de Paula (85 98819 13 42 / 85 3101 9786)




► Tango na Praça
Venha trocar ideias e dançar junto de admiradores do tango argentino. O projeto mensal traz a prática do tango ao alcance de todos.

Dia 26 de outubro de 2016, das 19h às 21h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

Contato: Raquel (racheldimamima@hotmail.com) e Mário Ribeiro (99691.0178), um dos coordenadores do projeto.



► Dragão Blues
Em parceria com a Casa do Blues, esse projeto mensal apresenta grandes nomes do blues cearense e convidados de outros estados. Nesta edição, confira os shows da banda De Blues em Quando e de Rafael Balboa.

De Blues em Quando
Simplicidade e autenticidade. Esta é a tônica do trabalho da De Blues em Quando (DBEQ). Formada em 2004, a banda atua divulgando o blues em workshops e festivais. Com um trabalho autoral em português, torna o gênero acessível a todos, explorando sua sensibilidade e paixão, sem deixar de lado os clássicos que fizeram do blues um estilo mundialmente conhecido.

A sonoridade de slides e gaitas é o ponto chave para a banda transitar entre as diversas vertentes do Blues, como o Delta blues do Mississipi, Chicago Blues, Texas Blues, Blues Rock, além de um gênero pouco conhecido e explorado no Brasil, o West Coast Blues.

Ao longo de sua história, a DBEQ tem se apresentado nos principais espaços reservados ao Blues no Ceará, em projetos da Casa do Blues, Festival de Jazz e Blues de Guaramiranga, Fórum de Harmônicas Brasil, Oi Blues by Night, Canoa Blues e Ceará Music, que possibilitaram à banda e aos componentes a oportunidade de dividir o palco com nomes do cenário do Blues internacional e nacional, tais como Peter Madcat, John Primer, Johnny Rover, Nuno Mindelis, Ígor Prado, Flávio Guimarães, Jefferson Gonçalves, Carlos May, André Serrano e Marcelo Naves, dentre outros.

+

Rafael Balboa
Rafael Balboa é guitarrista, cantor e compositor cearense, conhecido por suas participações em diversas bandas de Fortaleza e por seu trabalho autoral que reúne elementos de blues, rock, pop, soul e funk. Com mais de dez anos de atividade, o músico já  teve a oportunidade de participar de diversos grandes eventos, como o Canoa Blues (2011 e 2013), Fórum Harmônicas (2011), Blues do Nordeste (2012 e 2013), Casa do Blues (2012,  2014 e 2015), BNB Rock Cordel (2014), Festival de Jazz e Blues de Guaramiranga (2015), dentre outros. Recentemente, o artista lançou nas plataformas digitais seu álbum de estreia, “Birth”, com dez composições próprias e contando com as participações de diversos músicos consagrados na cena atual de Fortaleza.

Dia 28 de outubro de 2016, às 19h30, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Gratuito.

Contato: Casa do Blues - Álvaro (9146-3781 / alvaro@casadoblues.com.br) / Roberto Lessa (8896-1334 / roberto@casadoblues.com.br / roberto_lessa@hotmail.com)



► Marcela Taís – show Voz, Violão e Poesia

Com um som que mistura influências do folk, surf music, reggae, mpb, pitadas de pop e estilo próprio da cantora, Marcela Taís começou sua carreira em 2010, divulgando primeiramente a sua música pela internet. Dona de uma identidade musical até então pouco explorada no segmento gospel, a jovem cantora, filha de pastores e nascida no Mato Grosso do Sul, chegou ao mercado com o diferente CD Cabelo Solto. O álbum tem onze faixas autorais que abordam de forma poética temas ligados à vida cristã.

Não demorou muito para Marcela Taís ganhar notoriedade entre o grande público e, em 2012, foi vencedora na categoria “Pra Curtir” no Troféu Promessas, evento organizado pela Rede Globo. No final do mesmo ano, ela assinou com a Sony Music Gospel por onde relançou o disco Cabelo Solto, incluindo a faixa romântica Escolhi te esperar, que ganhou um clipe que hoje está perto dos 3 milhões de visualizações. E não é apenas por suas músicas, Marcela Taís virou referência para a juventude principalmente pelos princípios que defende os quais são expressos por ela em suas ministrações nos eventos e na internet, através de frases e textos com reflexões que são amplamente compartilhados nas redes pelo público, pois além de cantora e compositora também é redatora e tem um estilo próprio que acaba chamando a atenção. Uma das músicas que merecem destaque é Menina, não vá desanimar feita para as mulheres, hoje famosa entre o público feminino cristão. Outros destaques do primeiro trabalho da cantora foram as músicas Pra você sorrir e Não tenho o dom que inclusive ultrapassa o 1 milhão de visualizações no youtube em sua versão acústica.

Marcela Taís lançou em Junho o CD Moderna à Moda Antiga, com produção assinada pela própria com co-produção do veterano Michael Sullivan que inclusive também compôs com ela algumas das melodias. A parceria não apenas gerou frutos como também bastante curiosidade do público, e segundo a cantora, o próprio nome do cd expressa o resultado desta união de ideias, pois, une passado e presente em diversos sentidos, a começar pela mistura e combinações de estilos dos dois compositores que é o grande diferencial do projeto. O single de trabalho é a canção Ame mais, julgue menos, com uma pegada bem animada de folk. A Moderno à moda antiga é a música título do cd e expressa a proposta do projeto que é valorizar os princípios deixados por Deus lá atrás pois mesmo em tempos modernos não estão ultrapassados e são o segredo para uma vida feliz e de decisões acertadas, gerando assim em quem ouve um convite à reflexão. Entre as faixas, o que se percebe, é que cada música literalmente conta uma história, a própria cantora já contou algumas delas nas redes, não é a toa que um dos destaques do projeto foram as logomarcas individuais que cada música recebeu contendo uma arte relacionada com o nome, algo totalmente diferente e novo que chamou bastante atenção do público. O disco ainda traz uma homenagem aos homens com a faixa Homem de Verdade e também conta com as participações de Salomão do Reggae, Paulo César Baruk e Anayle Lima nas canções Risco, Sou Diferente e Conselho de Amiga, respectivamente. O repertório ainda conta com o blues Naufrágio e a romântica Quando é amor.

Com um estilo retrô, mas com mensagens que trazem conceitos atemporais, Marcela Taís figura entre as grandes revelações da música evangélica nacional que consegue se comunicar facilmente com os vários públicos e idades, ultrapassando a barreira religiosa, sendo convidada inclusive de eventos católicos ou outros voltados para o público aberto e em geral. O sucesso também é refletido nas redes sociais da cantora que conta com mais de um milhão e meio de seguidores somados.

Dia 28 de outubro de 2016, às 20h, no Anfiteatro. Ingressos: R$ 60 e R$ 30 (meia). À venda no site www.meuingresso.com e na bilheteria do Dragão (funcionamento de terça a domingo, das 14h às 20h).

Contato: (21) 98145-4145



► Oficina de Colagem, Ilustração e StopMotion

O público passará por algumas etapas partindo de um exercício coletivo de criação de um personagem (Ex.: um super-herói e/ou um vilão). A criação deste utilizará técnicas e materiais variados, desde desenhos a recortes ou modelagem. Em seguida, serão ilustrados cenários e paisagens em Papel Branco A4 ou Cartolina.

Após a criação do personagem, o grupo precisará definir uma história para este personagem contando uma moral de como é importante conhecer nossa cultura ou afins. Nesta etapa, os participantes irão definir em grupo qual a história final dos personagens.

A história será pensada em quatro quadros usando os cenários desenhados anteriormente. Após definidos os personagens e a história, o grupo gravará uma vinheta curta em stop motion (ou vídeo corrido mesmo) usando os quadros e cenários pensados anteriormente.

Dias 29 e 30 de outubro de 2016, às 16h (carga de 3 horas/aula, dividias em dois dias), no Miniauditório do MCC. Gratuito. Informações: 85 3488.8625.



► Pôr do Som – Música de Câmara no Dragão

Todos os sábados, grupos de instrumentistas destacados da Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual do Ceará (Osuece) fazem belas apresentações gratuitas ao pôr do sol, na Arena Dragão do Mar. A cada edição, uma formação diferente surpreende o público. Confira a programação do dia 29/10:

Thiago Rocha, Saxofone Brasileiro – Thiago é saxofonista, flautista e arranjador. Estudante de Bacharelado em Saxofone pela Universidade Estadual do Ceará – UECE, sua influência musical vem de expressivos nomes como: John Coltrane, Michael Brecker, Bob Mintzer e do brasileiro Marcelo Martins.

No Ceará e em Fortaleza, atua com renomados músicos do cenário local, dentre os quais cita: Mimi Rocha, Tito Freitas, Cainã Cavalcante, Hugo D’leon, Edson Távora Filho, Adriano Azevedo, Luisinho Duarte, Lorena Nunes, David Ávila, Banda Groovytown e o quinteto instrumental Expresso 5.

Integra a banda do cantor e compositor Raimundo Fagner e também é convidado para integrar a banda de outros nomes do cenário nacional, como: Marcos Lessa, Júnior Meirelles, Evaldo Gouveia, Pantico Rocha e Pedro Mariano.

Recentemente, participou das gravações do CD do cantor e compositor Marcos Lessa e da cantora Lorena Nunes, além das gravações do DVD do violonista e guitarrista Cainã Cavalcante, do cantor e compositor David Ávila e do cantor e compositor Evaldo Gouveia.

Dia 29 de outubro de 2016, às 17h, na Arena Dragão do Mar. Acesso gratuito.

Contato: Tauí Castro 98526.6604 (koisaetaoproducoes@gmail.com)




► Praça do Rock
O projeto mensal Praça do Rock apresenta, a cada edição, duas bandas autorais cearenses de diferentes matizes do rock. Confira em outubro, o som das bandas The Andies e Andes.

The Andies
É uma banda cearense de rock’n’roll formada em dezembro de 2011, por quatro amigos que tinham, basicamente, o mesmo intuito em comum: fazer um som de qualidade e com uma proposta baseada no bom e velho rock britânico, com letras que levam as pessoas não somente a apreciarem a música, mas também a refletirem sobre a sua mensagem. No início, o idealizador do projeto, Erick Patriolino, propôs aos outros membros o nome The Andies, tendo como alicerce para o título o empresário e pintor americano Andy Warhol, fundador e principal difusor do movimento Pop Art, nos Estados Unidos da América. A ideia se tornou interessante pelo fato de Warhol ter sido um agente inovador, que estabeleceu uma quebra no âmbito da arte, sobretudo nos anos 60. O grupo é formado por Lucas Queiroz (vocal e guitarra), Sergio Dantas (baixo) e Erick Patriolino (bateria) e tem como influências fundamentais o rock’n’roll e o Brit Pop, com letras em português e em inglês, atuando no intuito de imprimir sua identidade e fornecer uma nova roupagem ao rock da capital, o que só vem a engrandecer a cena rock local.

+

Andes
Formada em 2005, ANDES vem crescendo no cenário do rock alternativo cearense e nacional, através de músicas que trazem letras subjetivas e um som pesado. Tendo influências de bandas como Far From Alaska, Ego Kil Tailent, Tool ‘Cog’, ‘Karnivool’ e Soundgarden.

Criada e situada em Fortaleza, a banda vem para mostrar que não está no mercado para fazer música seguindo padrões e sim para criar sua própria identidade. Com 10 anos de existência, a banda traz alguns trabalhos, sendo o mais recente um EP de seis (6) faixas, intitulado “Existencial” (2013), cujo lançamento contou com a participação da banda Several (AM). Logo após o lançamento no teatro Boca Rica, o grupo realizou uma turnê por diversas cidades do Ceará e depois shows em São Luís (MA), Mossoró (RN), Teresina (PI) e Manaus (AM), onde fizeram entrevista nas rádios locais e saíram em matérias de jornais da cidade.

Formada por Carlos Ramos (guitarra e vocais), Anderson Rodrigues (baixo) e Clinton Pinheiro (bateria), a banda soma às apresentações os prêmios de melhor banda alternativa do estado do Ceará, pela Rock Cunder; e segundo melhor CD conexão Norte/Nordeste, pela Rádio Manifesto Norte, em Manaus. O videoclipe recém-lançado, da música “Rapture”, segunda faixa do EP Existencial, teve uma boa visibilidade com produção independente, sendo bem aceito nas redes sociais e emissoras de TV. Atualmente, o grupo encontra-se em fase de produção de seu novo álbum, ainda sem título. A produção é do músico e produtor Bruno Prestes, com gravação em Manaus (AM) e lançamento previsto para o segundo semestre de 2016.

Dia 29 de outubro de 2016, às 18h, no Espaço Rogaciano Leite Filho. Gratuito.

Contato: Amaudson (ximenes.amaudson@gmail.com / 98708-4223 / 3223-7641)




► Brincando e Pintando no Dragão do Mar + Domingo no Circo [Temporada de Arte Cearense], com o espetáculo “Suspiros & Burbujas”
Cia Laguz Circo
A programação infantil especial do Dragão das Crianças segue nos dias 16, 23 e 30 de outubro, na Praça Verde. Nessas datas, das 16h às 19h, a criançada vai poder curtir o “Brincando e Pintando no Dragão”, temperado pelo divertido espetáculo “Suspiros & Burbujas”, da Cia. Laguz Circo, às 17h. Mais uma atração da nossa Temporada de Arte Cearense, o espetáculo cria uma atmosfera mágica, um encontro espontâneo do público que se aproxima pelo encantamento do palhaço, da palhaça, das bolhas gigantes e da singela música feita pelo acordeon, escaleta e buzinas.

Dia 30 de outubro de 2016, das 16h às 19h, na Praça Verde. Gratuito.

Contato: Felipe Abreu (85) 99973.9981 e-mail: abreuclown@gmail.com



► Entre Performances [Temporada de Arte Cearense]
CartografictiONs_Descalços Pelo Caos
David da Paz
Estuda Análise e Desenvolvimento de Sistemas na UNIFOR, artista híbrido e educador, já desenvolveu intervenções-obras-experiências artísticas e educativas em seus projetos pelo Brasil, Espanha e Reino Unido.

Com ação inovadora no campo da arte urbana, de intervenção, performance e das novas tecnologias, David da Paz propõe ao público percursos criativos com tours mediados, ou não, por cidades reais e imaginárias.

Dia 30 de outubro de 2016, às 17h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

Contato: David Paz (85) 9 8865.2115 e-mail: escoladebensimateriais@gmail.com



► Encontro Cearense de Malabares
Evento destinado à prática livre de malabarismo e outras modalidades circenses, com empréstimo gratuito de equipamentos e monitores para ensinarem, além de um show de malabarismo com fogo. Para os admiradores e aprendizes das artes circenses, é uma oportunidade de experimentação, aprendizagem e treino. Para os praticantes–amadores e profissionais, é uma oportunidade de prática coletiva, compartilhamento de técnicas e novos conhecimentos.


Dia 30 de outubro de 2016, das 17h às 20h, no Espaço Patativa do Assaré. Gratuito.

Contato: Teatro Plural (98738-2074 / 99903-9630 / teatroplural@gmail.com)



// TODA SEMANA NO DRAGÃO

► Feira Dragão Arte
Feira de artesanato fruto da parceria com Sebrae-CE e Siara-CE.
De sexta a domingo, das 17h às 22h, ao lado do Espelho D'Água. Acesso gratuito.

► Planeta Hip Hop
Grupos promovem exibições de dança e música hip hop.
Todos os sábados, às 19h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

► Pôr do Som – Música de Câmara no Dragão
A cada sábado, um grupo destacado da Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual do Ceará (Osuece) apresenta-se no Dragão do Mar.
Todos os sábados, às 17h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

► Fuxico no Dragão
Atrações artísticas e uma feirinha com vinte expositores de produtos criativos em design, moda e gastronomia agitam as tardes de domingo.
Todos os domingos, das 16h às 20h, na Arena Dragão do Mar. Gratuito.

► Brincando e Pintando no Dragão do Mar [EDIÇÃO ESPECIAL DRAGÃO DAS CRIANÇAS] Ver acima
Brincadeiras e atividades infantis orientadas por monitores animam a criançada na Praça Verde.
Todos os domingos, das 16h às 20h, na Praça Verde. Gratuito.




// PLANETÁRIO RUBENS DE AZEVEDO

Planetário Rubens de Azevedo é um espaço de entretenimento e formação pedagógica através de caráter transdisciplinar em Astronomia.

Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia).

Sessões às sextas-feiras, aos sábados e domingos:

O ABC do Sistema Solar, sempre às 18h
Três crianças estão observando as estrelas quando percebem uma "estrela cadente" e logo uma delas faz um pedido: o desejo de fazer uma viagem até a Lua. De repente, as crianças são teletransportadas para uma nave espacial chamada "Observador". Após superar o medo inicial, elas fazem uma rica viagem pelo Sistema Solar visitando os planetas. Durante a viagem, elas são teletransportadas para Marte e também Vênus, e passam por dentro dos anéis de Saturno. No final, fazem uma perigosa aproximação do Sol.

Nos Limites do Oceano Cósmico, sempre às 19h
Usando o poder da nossa imaginação, viajaremos pelo espaço a uma velocidade próxima a da luz até o limite do universo visível, e com a ajuda do planetário, veremos de perto a nossa galáxia e grupos de galáxias muito distantes de nós. Será que o universo tem fim? O que vemos no céu é uma ilusão? Você verá que o universo está em expansão e novas estrelas estão surgindo a todo instante.



//// EXPOSIÇÕES EM CARTAZ


// MUSEU DA CULTURA CEARENSE

► Exposição "Miolo de Pote: a cerâmica cearense primitiva e atual" [Salas 3 e 4]

Reunindo uma série de peças feitas de barro, a mostra apresenta o dinamismo e vivacidade desta arte ancestral e milenar, no Ceará, além de trazer ainda a contribuição de artistas plásticos e visuais como Bosco Lisboa, Gentil Barreira e Tiago Santana.

Potes, panelas, alguidar, caco de torrar café, brinquedos. A exposição Miolo de Pote revela um Ceará uno e múltiplo, similar e diverso, em dia com as heranças indígenas, africanas, ibéricas. “Primitiva e atual, a arte no barro mantém características próprias em cada localidade ou região, seja no tipo de material, no desenho, nas técnicas, seja no resultado final”, define a curadora Dodora Guimarães. Além dela, a mostra tem ainda a contribuição curatorial da historiadora e diretora de museus do Centro Dragão do Mar, Valéria Laena.

Miolo de Pote reúne, sobretudo, duas coleções públicas: a do Museu da Cultura Cearense (Instituto Dragão do Mar), feita entre 1997 e 1998, que cobriu a Região do Cariri, Saboeiro e Iguatu; e a da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Governo do Estado do Ceará), adquirida em 2005 e 2006, durante o Projeto Secult Itinerante, que percorreu todo o Estado. Algumas peças advindas do Projeto Comida e da exposição O Fabuloso Mundo do Barro, ambos do MCC, enriquecem a mostra que conta ainda com a participação dos artistas plásticos e visuais Bosco Lisboa, Gentil Barreira, Liara Leite, Sabyne Cavalcanti, Tiago Santana, Tércio Araripe, Terry Araújo e Túlio Paracampos.


Instalação de Bosco Lisboa
Em julho, o MCC e o artista Bosco Lisboa desenvolveram uma oficina gratuita, aberta ao público, cujas peças produzidas agora são parte de uma instalação inédita, nesta exposição. Nas aulas ministradas de 19 a 22 de julho, no ateliê da Praça Verde do Dragão do Mar, o artista ensinou as técnicas para se trabalhar com argila.

Natural de Juazeiro do Norte (CE), Bosco desenvolveu, por mais de dez anos, uma pesquisa com artesãos do Sítio Touro e do bairro Tiradentes, tradicionais redutos da cerâmica de sua cidade natal. Em 1994, passou a moldar o barro tendo em vista sua relação com o cotidiano. Por seu trabalho, recebeu menção honrosa no Salão dos Novos em 1993, em Fortaleza. Entre as exposições coletivas de que participou, destacam-se 1ª Bienal do Cariri (Juazeiro do Norte, 2001), Bienal Naif’s (Sesc Piracicaba, 2004) e Projeto Abolição Tudo É de Barro, no Centro Cultural do Abolição (Fortaleza, 2005).


Mediações
Nos finais de semana de outubro, sempre a partir das 17h, o Núcleo de Ação Educativa do Museu da Cultura Cearense realizará mediações abertas ao público sobre a exposição Miolo de Pote: a cerâmica cearense primitiva e atual. Cada mediação será focada na prática do artesanato com o barro em uma cidade diferente do Ceará, expressão com representação em todas as regiões do Estado, em suas dimensões utilitária, votiva, lúdica e artística.

>> Em cartaz até novembro de 2016, no Piso Intermediário do MCC. Visitação de terça a sexta, das 9h às 19h (acesso até as 18h30); e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Gratuito.



► Exposição “Narrativas e Alteridade – O Outro de Nós” [Encontros de Agosto]

A partir do tema “Narrativas e Alteridade”, o festival Encontros de Agosto 2016 propôs que fotógrafos dos nove estados do Nordeste fossem além das próprias fronteiras, trazendo e potencializando imagens de lugares e sujeitos imaginados. O público poderá contemplar na exposição questões universais a partir das realidades locais, percebendo aproximações e diferenças. 

Esta exposição é composta de mostras coletivas de fotógrafos cearenses e dos demais estados do Nordeste. “As narrativas visuais têm como fundamento a alteridade, traduzida e discutida pelo olhar de 54 fotógrafos, sendo 23 deles cearenses. É uma oportunidade única dos espectadores verem essa rica produção nordestina em um só local. São mais de 300 fotos”, explica a coordenadora geral do evento, Patricia Veloso.

Os intercâmbios abrem canais de comunicação para circuitos nacionais e internacionais. Após a exibição no Ceará, as mostras serão adequadas para uma exposição itinerante. Mais sobre o festival Encontros de Agosto: www.encontrosdeagosto.com.

>> Em cartaz até dezembro de 2016, no Piso Superior do MCC. Visitação de terça a sexta, das 9h às 19h (acesso até as 18h30); e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Gratuito.



► Exposição Vaqueiros [Sala 4] [Exposição de Longa Duração]

Em exibição no Museu da Cultura Cearense desde 1998, a Exposição Vaqueiros arrebata o público que nela identifica traços de sua cultura e costumes. A exposição ao longo dos anos enriquece os saberes, instiga reflexões, desperta emoções. Nela revelam-se inúmeros elementos que possibilitam rememorar e reconstruir o que se compreende como o universo sertanejo.

Comentários