Diabetes

Novembro é o mês de combate ao diabetes, uma alusão ao Dia Mundial do Diabetes, lembrado hoje (14). O período, chamado e reconhecido mundialmente pela expressão "Novembro Azul", mobiliza, em Fortaleza, os profissionais do Centro Avançado de Retina e Catarata, do Centro Integrado de Diabetes e Hipertensão (CIDH) e da Escola Cearense de Oftalmologia contra a retinopatia diabética. Com apoio da Sociedade Cearense de Oftalmologia e Sociedade Norte Nordeste de Oftalmologia, eles realizam, na próxima quinta-feira (17), gratuitamente, o mutirão do diabético, com consultas para a detecção de novos casos da doença e exames de fundo de olho para pacientes com diagnóstico confirmado. Além disso, é disponibilizado tratamento a laser para a retina para os casos mais graves. 
Ainda como parte da programação, os pacientes participam de palestra que esclarece sobre a prevenção e controle da doença. Para participar das atividades, basta que a pessoa interessada se dirija à sede do CIDH (Rua Silva Paulet, 2406,- Dionísio Torres), a partir das 7 horas.
O diabetes é uma doença do metabolismo do corpo que leva ao aumento da glicose (açúcar) no sangue, podendo provocar lesões definitivas nas paredes dos vasos sanguíneos. Crônica, debilitante e de alto custo, se não tratadapode evoluir para complicações graves, como insuficiência renal, amputação de membros, acidente vascular cerebral (derrame), doenças cardiovasculares e cegueira irreversível. 
A médica oftalmologista do Centro Avançado de Retina e Catarata, Socorro Lucena, explica que se não tratada em tempo hábil a retinopatia diabética pode levar à cegueira. "Nosso objetivo é sensibilizar a população para esta doença que é uma das principais causas de cegueira da população, em todo o mundo. E, claro, contribuir para acelerar o diagnóstico e o tratamento para quem precisa", afirma.
A estimativa é de que no Ceará existam 450 mil pessoas com diabetes. Segundo dados do Ministério da Saúde, Fortaleza é a capital brasileira com o maior percentual de diabéticos (7,9% da população). Cerca de 50% da população diabética não sabe que tem a doença e 40% dos diabéticos não conseguem realizar o controle adequado da enfermidade.

Comentários