Inflação nordestina

O Nordeste apresentou crescimento de 0,20% na inflação em novembro, seguindo tendência de queda ao longo do ano. O índice da Região, no entanto, ainda é superior ao nacional, que registrou alta de 0,18% no período. A avaliação é do Escritório de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), órgão de pesquisas do Banco do Nordeste.
Segundo o Etene, os gastos que compõem o grupo "Saúde e Cuidados Pessoais" subiram 0,70%, sendo responsáveis por quase metade da inflação do Nordeste em novembro. Em Fortaleza e Recife, esses produtos tiveram aumento mais elevado, de 0,77% e 0,71%, respectivamente. Salvador, por sua vez, teve o crescimento percentual para esse gênero, com alta de 0,65%.
No acumulado de doze meses, a inflação regional registrou 7,89%, também superior à nacional, de 6,99%. A região metropolitana de maior inflação no período continua sendo Fortaleza, ao apontar crescimento de 9,25%. Na mesma base de comparação, Salvador, que possui o maior peso no cálculo realizado para o Nordeste, assinalou índice de 7,33%, e Recife, elevou os preços em 7,75%.
Ainda levando em consideração novembro, Recife foi a cidade onde se verificou o maior índice inflacionário (0,60%). Fortaleza e Salvador apresentaram inflação de 0,13% e 0,05%, respectivamente.
Cenário nacional
Dentro do cenário de desaceleração da alta de preços, o Brasil apresentou elevação de 0,18% em novembro, ante índice de 0,26% no mês anterior. A inflação divulgada é também a menor para os meses de novembro desde 1998. O processo de desinflação no país reflete-se na comparação com a inflação acumulada em 2016, de 5,97%, inferior à verificada no mesmo mês de 2015 (9,62%).
Em outra base de comparação, a inflação brasileira assinala crescimento de 6,99% nos últimos doze meses, ante 7,87% e 8,48%, em outubro e setembro, respectivamente, reforçando a trajetória descendente dos preços.
O Etene estima que, caso a inflação seja inferior a 0,50% em dezembro, o ano de 2016 terminará abaixo de 6,5%, ficando dentro do intervalo da meta inflacionária estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional, que é 4,5%, com tolerância de variação em 2%, para cima ou para baixo.
Metodologia
O índice regional de inflação do Etene é elaborado a partir de metodologia própria e utiliza dados oficiais para construir base de análise ampla, válida para toda a região. Ele é resultado de monitoramento periódico do Etene e complementa as informações divulgadas mensalmente, no âmbito nacional, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
O trabalho é conduzido pelos funcionários do Banco do Nordeste Antônio Ricardo de Norões Vidal (economista, mestre em Administração de Empresas) e Allisson David de Oliveira Martins (economista, mestre em Economia).

Comentários