Teori

A morte do ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki, causou consternação aos deputados da Assembleia Legislativa. O ministro foi vítima de acidente aéreo, na tarde de ontem, no litoral sul do Rio de Janeiro. A aeronave caiu próximo à cidade de Paraty. 
O presidente da AL, deputado Zezinho Albuquerque (PDT), declarou que o Brasil inteiro lamenta a morte do ministro Teori Zavascki por tudo que ele representou para o Direito brasileiro. “De conduta irretocável, ele conduziu com seriedade e competência a relatoria da operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal em um momento crítico da história do País. Espero que as próximas gerações assimilem o legado deixado pelo ministro e que seu trabalho tenha continuidade”, afirmou.
O deputado Heitor Férrer (PSB) assinalou que o ministro Teori terá um lugar especial na história do judiciário e na história do País. “No Judiciário, por encarnar a reserva, a discrição, a prudência e a firmeza do julgador. No País, por ser relator de uma ação, tendo, como réus, pessoas da mais alta posição na república”, pontuou. Para Heitor, o ministro era um homem que sempre manifestava seus votos de forma extremamente serena, sempre muito bem fundamentados.
Outros parlamentares, além de lamentar o fato, externaram estranheza pela forma como aconteceu o acidente.
Ely Aguiar (PSDC) além de lamentar o fato externou estranheza pela forma como aconteceu o acidente. “Está tudo muito tenebroso, tanto é que o Ministério Público Federal e a Polícia Federal já designaram uma equipe para fazer uma investigação minuciosa”. O deputado disse esperar transparência na investigação desse acidente. “A nossa pergunta é: será que não houve sabotagem”?, questionou.
Ele salientou ainda que o ministro era diferente dos outros. “Uma pessoa reservada, de difícil acesso, pois não queria se envolver para não atender nenhum tipo de pedido. E pegou um dos maiores processos da história do STF, que envolvia forças poderosas”, pontuou.
O deputado Moisés Braz (PT) reconheceu que "o Brasil perdeu um magistrado de reconhecida capacidade técnica, com larga experiência também na área acadêmica”. O parlamentar lembrou que ele foi indicado pela presidente Dilma Rousseff para o STF de forma democrática e republicana, “Teori deu exemplo de comportamento isento tanto em suas decisões como pela forma discreta condizente com a função exercida”, frisou.
“Fico triste porque é uma pessoa que demonstrava seriedade e serenidade para conduzir os processos dentro dos princípios da legalidade”, disse o deputado Walter Cavalcante (PP). Na avaliação do parlamentar, o ministro nunca se utilizou do cargo para se projetar. “Para o Brasil, é lamentável a morte, pois ele gerou expectativa grande para o povo brasileiro, como relator de um processo que envolve gente importante”, avaliou.
Na opinião do líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Evandro Leitão (PDT), oBrasil perde um magistrado cuja postura tem muito a ensinar. “O ministro Teori Zavascki era corajoso, discreto, ponderado e justo. Espero que o bom trabalho desempenhado por ele até então seja honrado”, assinalou.
O deputado Odilon Aguiar (PMN) também lamentou a morte do ministro. “Teori estava em uma posição chave na investigação da Lava Jato e os brasileiros depositaram nele a esperança de um processo sério e imparcial. Neste momento de perplexidade, o mais importante é manifestarmos nossa solidariedade aos familiares e amigos das vítimas do desastre de Paraty”, afirmou.

Comentários