Petrobras

A produção total de petróleo e gás natural da Petrobras, em janeiro, foi de 2,86 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed), sendo 2,74 milhões boed produzidos no Brasil e 120 mil boed no exterior.
A produção média de petróleo no país foi de 2,23 milhões de barris por dia (bpd), volume 3% inferior ao de dezembro do ano passado. Esse resultado se deve, principalmente, à parada programada na plataforma P-40, localizada no campo de Marlim Sul, na Bacia de Campos, e à manutenção em um dos poços produtores interligados ao FPSO Cidade de Anchieta, no Parque das Baleias, também naquela Bacia.Em janeiro, a produção de gás natural no Brasil, excluído o volume liquefeito, foi de 81,4 milhões de m³/d, em linha com a produção de dezembro de 2016.
Produção no pré-sal atinge novos recordes diário e mensalEm janeiro, a produção de petróleo operada pela Petrobras (parcela própria e dos parceiros), na camada pré-sal, atingiu dois novos recordes: o mensal, com a produção de 1,28 milhão bpd, e o diário, alcançado no último dia 4 de janeiro, de 1,34 milhão de barris. Além disso, a produção de petróleo e gás natural operada alcançou o novo recorde de 1,59 milhão boed.
Esses resultados se devem, principalmente, ao crescimento da produção de novos poços interligados aos FPSOs Cidade de Caraguatatuba (no campo de Lapa); Cidade de Saquarema, Cidade de Mangaratiba e Cidade de Itaguaí (localizados em Lula); e Cidade de São Paulo (em Sapinhoá); todos na Bacia de Santos. Outro destaque foi o maior desempenho operacional na plataforma P-58, localizada no Parque das Baleias, na Bacia de Campos.Produção de óleo e gás no exterior
Em janeiro, a produção de petróleo nos campos do exterior foi de 69 mil bpd, volume 13% superior ao mês anterior. Esse crescimento decorre, especialmente, do retorno à operação do campo de Agbami, na Nigéria, após parada programada ocorrida em dezembro. A produção de gás natural foi de 8,6 milhões de m³/d, 16% abaixo do volume produzido no mês anterior. Essa redução ocorreu, sobretudo, devido à redução de demanda de gás da Bolívia.

Comentários