Fala Eunício

O presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) afirmou que as ações do Poder Legislativo serão pautadas pela necessidade que o Brasil tem de voltar a crescer, de forma a incluir no mercado de trabalho os cerva de 13 milhões de brasileiros que encontram-se desempregados. A afirmação foi proferida ontem, durante entrevista concedida ao jornalista Roberto D’Avila e exibida pela emissora de televisão GloboNews.
Questionado sobre quais as prioridades do Senado, dentre tantas pautas importantes a serem tratadas, Eunício ressaltou que a economia tem preponderância. “Estou cumprindo uma missão pelo Brasil, de fazer um debate franco, aberto e harmonioso sobre aquilo que precisa ser modificado para que a economia volte a crescer e a gente possa incluir esses 13 milhões de brasileiros que estão desempregados. Para que essa nova leva de jovens possa ter chance de entrar no mercado de trabalho. E, para isso, é preciso que a gente mude e, sinceramente, eu Acredito muito em Deus e acho que foi para isso que Ele me deu essa missão, que é árdua”, declarou.
Eunício reconheceu não será fácil realizar as reformas necessárias para essa retomada da economia, dentre as quais, a trabalhista, a tributária e a previdenciária. Entretanto, na visão dele, o momento é oportuno porque o presidente Michel Temer não está sendo movido por interesses eleitorais. “Felizmente, o Brasil está sendo dirigido por alguém que não está direcionado pelo desejo ou obsessão por uma reeleição. O presidente Michel está voltado para a história, ou seja, é alguém que pegou o país em profunda recessão, e que agora já mostra os sinais de recuperação”, ponderou.
Segundo Eunício, que participou da mais recente reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o Ministério da Fazenda projeta um Produto Interno Bruto positivo ainda em 2017, a queda da inflação para o patamar de 4,5% e a redução da taxa básica de juros para cerca de 8%. “Esse é o papel do Senado, pautar as matérias econômicas que destravem Brasil. E não só aprovar novas leis, mas revogar as leis que já estão obsoletas”, defendeu.
O presidente do Congresso também comentou sobre fato de que a imagem dos políticos está desgastada perante o cidadão. Para ele, o resgate da credibilidade da classe política é papel dos detentores de mandato. “E isso só será feito com a apresentação de resultados concretos em benefício dessa população, o que fará com que a sociedade se reaproxime do universo político.
A entrevista completa pode ser conferida no link abaixo:

Comentários