Economia de água

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) registrou redução de 13,98% no consumo de água em Fortaleza e Região Metropolitana (RMF) em março de 2017. Esse é o maior percentual de economia de água alcançado desde a implantação da tarifa de contingência, em dezembro de 2015. Isso significa que março foi o mês com menor número de clientes pagando a tarifa de contingência.
Apesar da meta de 20% de redução ainda não ter sido atingida, os dados levantados pela Cagece demonstram que os consumidores estão cada vez mais conscientes quanto à redução do consumo de água. O volume de água consumido no mês de março foi o menor desde 2014 e representa 1,6 milhão de metros cúbicos a menos na média utilizada para cálculo da tarifa de contingência de Fortaleza e RMF.
Ao todo, o mês de março teve 213.647 mil clientes dentro da tarifa de contingência. Se comparado com dezembro de 2015, quando a tarifa iniciou, mais de 77 mil clientes já saíram desse grupo e deixaram de pagar a tarifa de contingência porque atingiram a meta individual de consumo.
Mesmo diante da economia alcançada e das chuvas dos últimos meses, a situação hídrica ainda não está confortável no estado, pois os mananciais não receberam recarga suficiente para abastecer todos os municípios. Atualmente, os açudes do Ceará encontram-se com apenas 12,29% de sua capacidade de armazenamento e o principal açude que abastece Fortaleza, o Castanhão, com apenas 6,01% de sua capacidade. Portanto, a vigilância no consumo e ações de combate ao desperdício devem continuar.
Saiba Mais
A tarifa de contingência é aplicada aos clientes da Cagece que não reduzirem o consumo de água, conforme meta definida para cada cliente e informada nas contas de novembro de 2015. O mecanismo tem por objetivo estimular a redução do consumo de água durante o período de escassez hídrica. A tarifa com a nova meta de 20% entrou em vigor na capital a partir do dia 18 de setembro de 2016, e na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), no dia 19 do mesmo mês.
De acordo com as resoluções das agências reguladoras, ficam isentos da cobrança da tarifa clientes que consomem dentro da demanda mínima da categoria de seu imóvel, bem como hospitais, prontos-socorros, casas de saúde, delegacias, presídios, casas de detenção e as unidades de internato e semi-internato de adolescentes em conflito com a lei.
Serviço
Para saber mais sobre como funciona a tarifa de contingência, a Cagece disponibilizou na internet um guia explicativo sobre o mecanismo. O material pode ser acessado através do portal da Cagece (www.cagece.com.br). Para baixar o conteúdo, acesse o portal da Cagece e escolha a opção “Revisão e Tarifa de Contingência”, no menu à esquerda da tela, em seguida, clique em “Fique por dentro”.

Comentários