Transposição

O deputado estadual Leonardo Araújo (PMDB) questionou, durante o primeiro expediente da sessão plenária de hoje da Assembleia Legislativa do Ceará (AL-CE), o propósito da reunião convocada com os 46 parlamentares da Casa para debater o andamento das obras de transposição do Rio São Francisco.
Para o parlamentar, as obras só estão paradas no Estado por conta de uma ação judicial apresentada pela empresa cearense PB Construções, que foi desclassificada do certame licitatório, e não adianta promover a mobilização de deputados, se não houver cobrança para a retirada da ação.
Segundo o parlamentar, a atitude do presidente Zezinho é bem-intencionada e respeitosa, mas a mobilização precisa ser direcionada à empresa PB Construções sob o risco de a questão ficar desvirtuada. “O presidente Zezinho avoca para si o direito de convocar os deputados desta Casa para nos somarmos em uma mobilização pela conclusão das obras de transposição, mas sem dizer à população cearense que este imbróglio da paralisação não está mais nas mãos do Ministério Público, do Ministério da Integração Nacional, do presidente da República ou de nenhum congressista, mas sim nas mãos da Justiça Federal”, apontou Leonardo Araújo.
O deputado assinalou ainda que, como já havia mencionado anteriormente na tribuna da Casa, a empresa teria ligações com o grupo político dos Ferreira Gomes, e sua atitude poderia gerar benefícios políticos para determinadas pessoas. “Ao longo da gestão de Cid Gomes no Governo do Estado, a PB Construções atingiu um faturamento de mais de R$ 1,77 bilhão em contratos firmados com a administração, além de ter sido doadora de campanha de alguns deputados desta Casa”, salientou o parlamentar.
Em aparte, o deputado Roberto Mesquita (PSD) destacou que já há uma sinalização dada pelo presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB/CE), de que os recursos para a continuidade das obras de transposição no Ceará estão assegurados, e que o único impeditivo para a retomada dos trabalhos é a ação judicial.
O deputado Joaquim Noronha (PRP) considerou grave a denúncia de Leonardo Araújo, mas defendeu a manutenção da reunião com o presidente Zezinho, sugerindo que ela discuta a possibilidade de convidar representantes da PB Construções para comparecer à Assembleia e esclarecer a situação. O deputado Capitão Wagner (PR) também defendeu que a cobrança seja direcionada para a empresa PB Construções e não para o Governo Federal.
Já o líder do Governo na Casa, deputado Evandro Leitão (PDT), cobrou cautela nas críticas e ressaltou que o encontro convocado pelo presidente Zezinho busca definir um posicionamento do Poder Legislativo em relação à questão.

Comentários