Estudos sobre Dança, na Caixa Cultural



Foto: Divulgaçao
CAIXA Cultural Fortaleza apresenta, de 29 de agosto a 1º de setembro de 2017, o I Seminário Estudos sobre Dança - Poéticas Populares e Experiências Corporais,que reúne pesquisadores e artistas, como a coreógrafa Valéria Pinheiro, da Cia. Vatá e o pesquisador Oswald Barroso, para debater sobre o tema com os participantes.   

Os interessados podem se inscrever gratuitamente entre 22 de julho e 22 de agosto de 2017. Basta enviar o nome completo e número de telefone para o e-mail seminarioestudossobredanca@gmail.com. O credenciamento acontece no dia 29 de agosto e será realizado mediante doação de um quilo de alimento não perecível, a ser encaminhado a uma instituição de auxílio social.

O seminário visa promover um momento de reflexões teóricas e metodológicas que abordem as danças populares como objeto de pesquisa. Dessa forma, ele abre espaço para que artistas e mestres da cultura possam expressar suas formas poéticas de significar o mundo, ao mesmo tempo em que o público possa vivenciar essas danças. 

Composto por ciclos de palestras, oficinas e apresentações de danças populares, o seminário traz uma apresentação do cenário dessas práticas culturais no Ceará, a partir de questões contemporâneas que perpassam as suas produções, tais como a espetacularização das culturas populares e a criação de grupos parafolclóricos, por exemplo.

Partindo de uma ampliação da noção de danças populares, ocorrerão oficinas e apresentações de poéticas contemplando desde o bumba meu boi e a dança do Coco, até o universo do Hip-Hop.

O evento pretende contribuir com o desenvolvimento e o aprofundamento de reflexões em uma área de pesquisa em vias de consolidação e permitirá o diálogo entre público e pesquisadores, mestres e práticas culturais, possibilitando a ampliação do conhecimento sobre manifestações que integram as identidades locais.

O seminário é uma realização da Monstra Produção Cultural, com organização do Laboratório de Estudos e Pesquisas em História e Culturas – DÍCTIS e o Grupo de Trabalho de História Cultural da Associação Nacional de História – Secção Ceará.


Comentários